GuiaInvest

Tipos de Tesouro Direto: Tesouro Selic, Tesouro Prefixado e Tesouro IPCA+

Conheça um pouco mais sobre cada tipo de Tesouro Direto e descubra qual o melhor para investir

O Tesouro Direto é um investimento simples, fácil e acessível a qualquer brasileiro. Criado em 2002, pela Secretaria do Tesouro Nacional, tem por objetivo democratizar o acesso aos Títulos Públicos Federais.

Na prática, ao investir no Tesouro Direto, você está emprestando dinheiro para o governo. Que, em troca, fica comprometido a devolver, na data de vencimento, o valor emprestado mais os juros contratados.

Dessa forma, os títulos públicos são uma ferramenta poderosa de captação de recursos para financiar a dívida do país e uma opção mais rentável para aqueles investidores que pregam por segurança.

O programa do Tesouro Direto permite aplicações em diferentes modalidades de papéis que se diferenciam no preço, prazo de vencimento e na forma de cálculo da rentabilidade.

Saiba mais sobre o que é o Tesouro Direto nessa introdução ao Tesouro Direto.

Existe um mito de que é difícil escolher o tipo de título do Tesouro Direto para investir. Mas este vai ser quebrado agora.

Como escolher um Título Público

Tipos de Tesouro Direto: Tesouro Selic, Tesouro Prefixado e Tesouro IPCA+

Uma das formas de escolher um título do Tesouro Direto é pelo prazo do investimento. Ou seja, de acordo com o tempo que você manterá o dinheiro aplicado.

Cada título possui diferentes prazos: curto (até 1 ano), médio (até 5 anos) e longo prazo (até 10 anos ou mais). Caso você resgate antes deste prazo, a rentabilidade do seu investimento pode ser prejudicada.

Depois de definido o prazo, você poderá optar por títulos pré ou pós fixados.

Os títulos prefixados possuem rentabilidade definida no momento da compra. Isso significa que você saberá exatamente o valor que irá receber se mantiver o título até a data de vencimento.

Já os títulos pós fixados têm seu valor corrigido por um indexador, que pode ser a taxa básica de juros (Selic) ou inflação (IPCA).

Assim, a rentabilidade da aplicação depende do desempenho do indexador e da taxa contratada no momento da compra, no caso dos títulos mistos.

Você ainda poderá escolher se deseja receber parte da rentabilidade a cada 6 meses ou somente no vencimento do título.

Tesouro Prefixado

O Tesouro Prefixado é indicado para quem quer saber exatamente qual será seu rendimento ao final do vencimento do título.

Esse tipo de papel NÃO está sujeito às variações da taxa de juros ou qualquer outro indexador da economia.

Sendo assim, os títulos do Tesouro Prefixado não serão afetados pela movimentação do mercado. O rendimento ao final do investimento será o mesmo acordado na compra.

Nos casos em que a Taxa Selic está baixa, como é o caso do cenário atual, esses títulos podem ser uma boa opção. Porém, se os juros aumentam, eles podem render menos que as demais aplicações.

O Tesouro Prefixado deve ser associado a planos de médio prazo.

Essa modalidade oferece ainda a opção do Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (antiga NTN-F), investimento mais recomendado para quem ter uma renda extra.

Tesouro Selic

O Tesouro Selic (antiga LFT) é um título pós-fixado e tem o seu rendimento atrelado à taxa de juros básica da economia, a Selic.

Uma análise do cenário é recomendada antes de investir nesse título, uma vez que este sofre variações de rentabilidade até a data do vencimento e/ou resgate.

O lado positivo é que o Tesouro Selic não tem oscilações negativas e pode ser resgatado a qualquer momento sem grandes perdas.

Títulos do Tesouro Selic são recomendados para a formação de reservas de emergência, portanto, estão associados a planos de curto à médio prazo.

Tesouro IPCA+

O Tesouro IPCA+ é um título misto. Uma parte da taxa de rentabilidade é prefixada, a qual o investidor saberá no momento da compra, e a outra acompanha o IPCA. Sendo assim, o ganho real está garantido, pois o rendimento do título sempre estará acima da inflação.

Como, geralmente são títulos com prazo de vencimento mais longo, são recomendados para planos de longo prazo, para planejar a aposentadoria, por exemplo.

O Tesouro IPCA tem um alto potencial de valorização e ajuda a manter o poder de comprar no futuro.

Além do Tesouro IPCA+ (antiga NTN-B Principal), existe também a opção do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (antiga NTN-B).

Resumindo:

Tesouro Selic: recomendado para curto-médio prazo.

Tesouro prefixado: médio prazo.

Tesouro IPCA+: recomendado para longo prazo.

 

O tesouro direto oferece diferentes opções de títulos. A escolha do melhor dependerá do seu objetivo e do cenário econômico.

Atualmente, será que investir no Tesouro Direto Ainda Vale a Pena? Sim! Veja o porquê aqui.

Se tiver dúvidas para investir, veja Como Investir no Tesouro Direto em 8 Simples Passos.

Equipe GuiaInvest

Nossa missão é ajudar as pessoas a poupar, administrar e investir seu dinheiro de maneira inteligente para que conquistem a liberdade financeira.

[Palestra Online e Gratuita]
[Palestra Online e Gratuita]