GuiaInvest
Como Ter uma Renda Passiva Mensal Sem Precisar Trabalhar?

Como Ter uma Renda Passiva Mensal Sem Precisar Trabalhar?

Conheça as vantagens e segredos da renda passiva e dos dividendos, uma forma de investir que permite que você lucre de diversas maneiras.

Conheça as vantagens e segredos da renda passiva e dos dividendos, uma forma de investir que permite que você lucre de diversas maneiras.

Você já parou para pensar em por que ganha o que ganha? Não, não estou falando sobre o que você deveria ganhar, justiça/injustiça, crise econômica, nem nada disso.

O assunto aqui é simplesmente por que razão você – e todo mundo – recebe um pagamento pelo trabalho que executa.

De forma direta, a resposta é simples: uma pessoa concorda em dar parte de seu tempo, força física, habilidades e inteligência para outra, em troca de alguma coisa útil.

Hoje estamos habituados ao dinheiro, mas nem sempre foi assim…

A própria palavra “salário” é derivada de sal, item que era parte integral do pagamento dos soldados na Roma antiga.

Mas quem levava a melhor mesmo eram os mesopotâmios. A mais antiga menção a “pagamento” conhecida é um bloco de argila feito em 3.100 a.C., mostrando quanta cerveja cada trabalhador deveria receber.

Isso mesmo, os mesopotâmios recebiam cerveja em troca pelo sua dedicação. Se olharmos algumas happy hours de hoje, perceberemos que eles sabiam que ia ser quase tudo gasto com álcool mesmo.

Talvez seja por isso que eles remuneravam sua força de trabalho diretamente com a bebida, não?

Brincadeiras à parte, pouco tempo depois, a humanidade descobriu as vantagens do dinheiro. Algo que toda sociedade concorda que tem um determinado valor e que simplifica o pagamento de força de trabalho e a compra de bens e serviços.

Os tempos mudaram, mas o processo continua o mesmo. Dá-se algo seu em troca de dinheiro.

Mas e se esse algo não precisasse ser o seu trabalho? E se você pudesse receber sem suar, sem queimar neurônios, nem nada?

Bom, isso chama “ganhar na loteria”. Mas como não dá para mandar na sorte, vamos para a segunda opção, que é quase tão boa quanto – e ainda permite que você a controle e administre, ao contrário da sorte: a renda passiva.

Ganhando dinheiro com o esforço dos outros

Ganhando dinheiro com o esforço dos outros

Ganhar dinheiro através do que os outros fazem: isso é o que chamamos de investimento – e também não é novidade.

Muito provavelmente você tem ou já teve pelo menos uma poupancinha, um fundo, um título público.

Em todas essas modalidades você dá o seu dinheiro para o banco, que o usa de várias formas lucrativas – desde financiamento de prédios até especulação internacional.

Depois de um prazo, o banco entrega a você o ganho financeiro conforme combinado. A partir de determinado volume, você começa a receber o suficiente para complementar a renda. Ou, quem sabe, viver de renda.

Em termos técnicos, isso se chama “renda passiva”. Mas esse ganho tem um limite.

A maioria esmagadora das aplicações financeiras oferecidas pelos bancos paga uma fração do que ele recebe emprestando dinheiro para outros bancos. Você já ouviu falar disso. É a taxa SelicQuanto melhor o investimento, mais ele se aproxima dela.

Mas, via de regra, esses investimentos não são tão acessíveis à população em geral, pois os aportes iniciais mínimos costumam ficar na casa das centenas de milhares de Reais.

Mas é possível ter tudo isso investindo algumas centenas de Reais por mês. Ou até menos.

O mundo mágico da renda passiva

O mundo mágico da renda passiva

Já falei outras vezes aqui e repito: boa parte dos brasileiros é refém da crise do final do mês.

Por falta de educação financeira, dependemos muito do salário que, para muitos, nem sempre dura o mês inteiro – o que muitas vezes tem mais a ver com falta de disciplina do que com quanto a pessoa recebe, mas isso é papo para outra hora.

Acontece que se uma pessoa que mal consegue pagar as contas recebe um aumento, ela tem alguns caminhos possíveis a escolher.

Dois deles são completamente opostos: no primeiro, ela aumenta o padrão de vida imediatamente, e junto vê suas contas subirem. No segundo, resolve investir em renda passiva.

Você sabe que, ao comprar uma ação, você se torna dono de uma fração de uma empresa. Uma espécie de sócio, portanto. E como sócio, recebe uma porcentagem do lucro dessa empresa algumas vezes por ano.

Essa parte se chama dividendo, e é o que pode fazer você lucrar muito.

As vantagens dos dividendos

As vantagens dos dividendos

À primeira vista, não existe muita diferença: ao investir em um fundo bancário você recebe juros; ao comprar certas ações, dividendos.

Alguns podem até dizer que os bancos levam uma vantagem, pois você sempre sabe o quanto vai receber, ao contrário dos investimentos em ações, que são renda variável. Assim, retirar juros ou retirar dividendos dá no mesmo.

Sim, se não levarmos em conta a inflação.

Mesmo que seu investimento bancário leve em conta a desvalorização do dinheiro, ele o faz de acordo com um índice inflacionário.

O índice mede a inflação, a grosso modo, ao pegar um número X de produtos e medir quanto o preço desses produtos variou nas cidades A, B e C. Tira a média e consegue um percentual que simboliza o quanto a moeda desvalorizou no mês em comparação com o mês anterior.

É um número extremamente confiável para o setor financeiro, e mede a economia geral da nação com fidelidade. Mas não reflete, necessariamente, o que cada pessoa gastou no mês.

Você provavelmente adquiriu algo que subiu mais que essa média. Aí entra a diferença.

Em um investimento bancário tradicional, você investe capital. E se o seu capital diminuir por causa da inflação, você perde dinheiro. Simples assim.

Ao investir em ações, você está investindo em um pedaço de uma empresa e em uma renda passiva.

O que a empresa vale pode variar, mas ela, seus funcionários, sua produção, sua capacidade de inovação continuam.

Exemplo real: as ações da Nintendo

ações da Nintendo
Imagem: KeongDaGreat / Shutterstock.com

O setor de videogames é um dos mais competitivos. É dominado por três empresas gigantes.

Alguns anos atrás, a Nintendo superou seus concorrentes – Sony e Microsoft – ao lançar o videogame Wii.

A situação se inverteu em pouco tempo, com o sucessor Wii U não conseguindo acompanhar as vendas do PS4 e do Xbox One (parênteses, quem é o gênio da Microsoft que acha que Xbox, Xbox 360 e Xbox One é uma sequência de nomes lógica?).

As ações da Nintendo seguiram as vendas fracas e desvalorizaram. Aí, aconteceu algo chamado Pokemón Go. Um dos maiores sucessos do setor nos últimos anos.

Quem investiu na Nintendo, continuou tendo o mesmo pedaço da empresa nos bons e maus momentos. Quem investe apenas dinheiro corre o risco de ver seu patrimônio diminuir aos poucos.

E aqui vai um dos grandes segredos do investimento em ações: você pode diminuir essa volatilidade, dependendo de onde investe e obter uma excelente renda passiva.

Entendendo como funcionam os dividendos

Entendendo como funcionam os dividendos

Ao investir em empresas que pagam bons dividendos, a partir de um ponto o seu patrimônio começa a crescer por si só através da renda passiva.

Vamos usar um exemplo com valores fixos para simplificar, mas nunca se esqueça de que ações são investimento de renda variável.

Imagine uma ação que custa R$ 50,00 e que paga R$ 0,10 de dividendo por ação. Você vai comprando esses papéis por meses, até que monta um portfólio de 500 ações. Isso lhe dá dividendos de R$ 50, o suficiente para comprar mais uma sem ter que tirar nada do seu bolso. No próximo pagamento de dividendos, com 501 ações, você tem o suficiente para comprar mais uma e ainda sobra um trocado. E assim sucessivamente.

Não é por acaso que ações que pagam bons dividendos são as preferidas dos maiores investidores do mundo.

Veja a história de Warren Buffett, o maior de todos. Ao contrário da maioria dos empresários de sucesso, Buffet retira de sua empresa um salário anual de apenas 100 mil dólares.

Ele recebe um pouco mais por palestras e livros, mas aí vem o segredo: por volta de 70% do que entra em sua conta a cada mês vem de dividendos de ações, ou seja, de renda passiva.

De fato, a estratégia de Buffett, tanto em sua firma de investimento, a Berkshire Hathaway como em seu portfólio pessoal, é investir pesadamente nas chamadas Aristocratas dos Dividendos.

Grandes empresas, grandes dividendos

Grandes empresas, grandes dividendos

Existe ainda uma outra maneira com a qual você ganha dinheiro investindo nessas empresas. Como qualquer companhia, elas procuram crescer, lucrar mais, inovar.

A ABInBev, por exemplo, já dominava pouco mais de 30% do mercado mundial de cerveja e recentemente adquiriu a segunda maior cervejaria do mundo, a SABMiller.

Imagine o impacto disso para quem investiu nessas empresas. Sem falar nas decisões menores.

A Coca-Cola, que faz parte da elite internacional das boas pagadoras de dividendos, elevando o que paga a seus investidores há quase 50 anos, anunciou recentemente planos de entrar no mercado do café no Brasil.

Não é uma notícia que abala o mercado, como as que eu citei sobre a Nintendo ou a ABInBev, mas é certamente mais um campo para gerar lucros e que vai afetar positivamente o balanço da empresa e seu valor.

Com a empresa valendo mais, o investidor recebe mais se decidir um dia vender suas ações.

E quanto mais tempo você permanecer com uma ação, maiores as chances de ganhar mais apenas com sua valorização. Esta é uma grande oportunidade de obter renda passiva.

A importância de ser aristocrata

A importância de ser aristocrata

Em muitos artigos financeiros, o índice Standard & Poors 500 é citado. Ele reúne as 500 maiores e melhores empresas de capital aberto negociadas na bolsa de Nova Iorque.

É tão influente que é usado pelo governo norte-americano como parte das estatísticas que mostram a saúde financeira do país.

E, entre essas 500 empresas, o S&P 500 separa pouco mais de 50 em um grupo chamado Aristocratas dos Dividendos – empresas que pagam mais e mais dividendos a cada ano, por pelo menos 20 anos.

Achou muito? Existem empresas nesse índice que recompensam seus investidores dessa forma por 50 anos.

Você pode ver um índice parecido na nossa BM&FBovespa. O IDIV separa as empresas que melhor remuneram seus investidores por meio de dividendos.

Não é preciso ser um especialista em finanças para perceber que uma empresa que aumenta (ou, na pior das hipóteses, mantém) os dividendos pagos a seus investidores por 50 anos tem que ter uma solidez a toda prova.

A segurança acompanha as boas pagadoras de dividendos

A segurança acompanha as boas pagadoras de dividendos

Se você quer pagar bem quem acredita em você, e fazê-lo por várias décadas, como as integrantes dos Aristocratas, então você precisa de uma solidez e uma segurança financeira capazes de fazê-lo superar qualquer crise.

Peguemos como exemplo a financeira Wells Fargo, integrante do seleto grupo de bons pagadores de dividendos.

Seus acionistas recebem mais e mais por cada ação há mais de 40 anos. Nesse período, o mundo passou por crises do petróleo, pela Guerra Fria, pela ascensão da internet e do mundo digital, pela ascenção e declínio do Japão como um dos líderes mundiais e, lógico, pela crise do mercado imobiliário que, sozinha, destruiu alguns dos maiores agentes financeiros do mundo.

Em meio a tudo isso, a Wells Fargo continuou pagando bons dividendos.

Algumas pessoas chamam o grupo de ações boas pagadoras de “ações para cardíaco”, significando que é muito difícil alguém se assustar com elas.

São estruturadas para não subirem estratosfericamente, mas também para não sofrerem grandes quedas.

Quem as compra não está interessado em especular, mas em algo muito mais importante: segurança e lucro.

Comece agora com um passo a passo gratuito

Comece agora com uma videoaula gratuita

Se você gostou de tudo isso e quer começar a gerar renda passiva, não basta apenas sair comprando ações de empresas que pagam dividendos.

Já vi muita gente cometer erros ao fazê-lo sem o devido conhecimento. É um filme clássico: o que a pessoa espera não acontece, ela se desespera ao ver a ação cair e aí vende tudo rapidamente, esquecendo-se de que a ideia é acumular para receber os dividendos.

É preciso se estruturar, pesquisar e conhecer algumas dicas e segredos. Minha sugestão é que comece seus estudos lendo a este e-book gratuito que eu elaborei justamente para elucidar as principais dúvidas que envolvem o investimento em boas pagadoras de dividendos.

Lembre-se: você não vai ganhar mais dinheiro da noite para o dia.

Como eu disse no começo do artigo, isso se chama loteria. Mas, se adotar essa estratégia, você irá construir uma carteira sólida de investimentos que permitirá, com o tempo, que você tenha uma vida financeira muito mais equilibrada e estará caminhando a passos largos para a independência.

Com o passar dos anos, será beneficiado pela oitava maravilha do mundo, segundo Albert Einstein: os juros compostos.

Mais do que uma boa opção de investimento, os dividendos (e a renda passiva, em geral) são a chave para uma vida melhor. Arregace as mangas e comece agora!

Aprenda como ganhar de R$1mil a R$5mil por mês com dividendos, mesmo que tenha somente R$100 para começar.

André Fogaça

André Fogaça é empreendedor digital, investidor e co-fundador do GuiaInvest. É formado em Administração de Empresas pela UFRGS e pós-graduado em Economia e Finanças pela mesma instituição. Possui credencial de administrador de carteiras e consultor de valores mobiliários pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Ebook grátis:

O Plano Definitivo para Você Chegar à Liberdade Financeira

Descubra como planejar sua busca pela Liberdade Financeira começando do zero!

Baixar agora
E-book: O Plano Definitivo para Conquistar sua Liberdade Financeira
[CONTEÚDO NOVO]
[CONTEÚDO NOVO]