GuiaInvest

Aumente sua renda com a regra 50-15-35

É provável que nunca tenha se falado tanto em liberdade financeira como nos últimos tempos. Mais do que isso, a ideia de acumular um patrimônio invejável parece realmente mais próxima de ser concretizada. Porém, muitas pessoas ainda se perguntam sobre como chegar lá. Uma das formas de acumular dinheiro de maneira inteligente é por meio da adoção da chamada regra dos 50 15 35.

Antes de aplicá-la a sua realidade financeira, entretanto, é preciso realizar algumas ações, e a mais básica de todas consiste em reorganizar as finanças. Essa é uma etapa de preparação fundamental para qualquer investimento bem-sucedido.

Porém, o que é a regra dos 50 15 35 e por que ela é tão vantajosa? Continue a leitura deste artigo para descobrir!

Por que organizar a vida financeira?

A administração do dinheiro é um grande problema para muitas pessoas. A lista contempla qualquer indivíduo, seja um empresário ou um funcionário. Não raro, essas mesmas pessoas realizam diversos cursos, a fim de desvendarem os mistérios por trás de uma gestão financeira eficiente.

De fato, a melhoria da gestão financeira passa por um profundo processo de aprendizagem. Em geral, os brasileiros cuidam muito mal do próprio dinheiro. Logo, o resultado final quase sempre é desastroso.

Com um ritmo perigoso e marcado pela desorganização financeira, fica praticamente inviável iniciar qualquer tipo de investimento. Assim, você se vê contínua e frequentemente preso em algum ponto de um determinado ciclo.

Ao organizar sua vida financeira, você passa a ter aquele montante tão almejado para aplicar em determinado fundo de investimentos. Até a sua participação no mercado de ações se torna mais tangível e rentável.

Aos poucos, o cenário se transforma. Então, você começa a enxergar outras possibilidades atrativas de aplicação financeira. Em outras palavras, você aprende a diversificar a sua carteira de investimentos.

Para alcançar essa posição favorável e tranquila, no entanto, é necessário manter as suas finanças em dia, ou seja, devidamente ordenadas. Isso significa que você deve ficar atento a uma série de aspectos, como:

  • economia atual do país — saber qual é a influência dos aspectos micro e macroeconômicos sobre a seu cotidiano
  • controle de gastos ao longo do mês — estabelecer orçamentos e limites em cada período é uma medida extremamente salutar para as suas finanças;
  • identificação de oportunidades — às vezes, você está diante de uma chance de ouro para realizar um grande investimento. Contudo, a falta de conhecimento necessário ofusca a visualização dessa oportunidade;
  • planejamento financeiro de médio de longo prazo — você só conseguirá efetuar os investimentos mencionados há pouco se souber elaborar um bom planejamento das finanças.

O que é a regra dos 50-15-35?

Tudo o que foi dito até aqui faz todo o sentido do mundo. Mesmo assim, você pode chegar à conclusão de que não faz ideia de como materializar essa organização financeira.

Para facilitar a sua vida, existem métodos que foram desenvolvidos para esse fim. Um deles é justamente a regra dos 50 15 35. Esses números não estão aí aleatoriamente: na verdade, trata-se de índices de porcentagem relacionados aos destinos do seu dinheiro.

50% da renda para os gastos indispensáveis

A regra determina que 50% da sua renda deve ser direcionada aos gastos inevitáveis e fixos, ligados a:

  • alimentação;
  • vestuário;
  • contas de energia elétrica e água;
  • saúde;
  • aluguel;
  • transporte.

15% para contornar ou evitar momentos de crise financeira

Já os 15% se referem aos gastos classificados como prioritários. Esse é um ponto delicado, já que envolve situações distintas. Observe abaixo.

Endividamento
Se esse é o seu caso, obviamente a eliminação de todo o débito pendente deve ser a prioridade. Além disso, os 15% indicados nem sempre serão suficientes, pois existem dívidas que exigem uma fatia bem superior a essa para que sejam realmente liquidadas.

Nessas circunstâncias, é preciso tentar reequilibrar os gastos em todos os 3 grupos (ainda não falamos do terceiro). Muitas vezes, a melhor saída reside na solicitação de um empréstimo, desde que os juros sejam baixos e viáveis.

Criação de uma reserva financeira
Caso você não tenha mais nenhuma dívida, poderá voltar os olhos para a criação de uma reserva financeira. Assim, você pouparia 15% da sua renda mensalmente.

Aqui, o grande objetivo é criar um fundo financeiro emergencial. O ideal é que o montante chegue ao teto de, pelo menos, 3 salários-mínimos. Com esse dinheiro guardado, você sabe que, diante de imprevistos, terá tempo para pensar em soluções de médio prazo. O mais importante: não precisará recorrer a empréstimos com taxas abusivas.

35% para garantir o mesmo padrão de vida

Fechando a conta dos 100%, nós temos 35%, os quais devem ser aplicados nas atividades prazerosas. A vida não é feita só de contas e deveres, logo, você também precisa ter uma parcela dos ganhos voltada ao lazer e à diversão. Então, compõem essa categoria os gastos com:

  • bares;
  • almoços e jantares especiais;
  • viagens;
  • cursos de artes marciais;
  • livros.

Qual é a vantagem de aplicar essa regra?

A primeira e indiscutível vantagem da regra é o norte que ela fornece às pessoas que perderam o rumo de suas finanças. O problema é que as necessidades de todo nós são bem subjetivas, dessa forma, a regra não se aplica a todo o mundo.

Um bom exemplo é uma renda que gire em torno de R$ 10 mil. Não faz sentido reservar 50% para gastos essenciais. Em sentido análogo, essa porcentagem é insuficiente para uma pessoa que sobrevive com somente 1 salário-mínimo. No último caso, é evidente que os gastos com necessidades básicas superarão esse índice.

Mesmo assim, a regra dos 50 15 35 é muito interessante para, ao menos, iniciar a reorganização do próprio dinheiro. Depois, é perfeitamente natural que você decida administrar os seus gastos de outra maneira.

Também é possível alterar um pouco as porcentagens atreladas a cada tipo de gasto. Portanto, o que realmente interessa é o estabelecimento de limites. A regra 50 15 35 cumpre muito bem esse papel de reforçar a importância de se controlar o que entra e sai da sua conta-corrente.

Já acumulei dinheiro, como proceder para investir?

Com 15% da sua renda, já é possível criar um fundo financeiro. Com o passar do tempo, essa reserva pode ganhar gerar um grande acúmulo. Parte dele deve ser investida nas melhores alternativas disponíveis no mercado. Quanto maior for a porcentagem destinada aos investimentos, maior será a sua proteção financeira.

Para saber exatamente o que fazer com o seu dinheiro, você precisa desvendar o mundo dos investimentos. Como? Por meio de cursos objetivos e que ofereçam resultados reais.

Após aplicar a regra dos 50 15 35, é crucial estudar o mercado detalhadamente, buscando as melhores opções de investimento do momento. Para aprimorar o seu conhecimento, é substancial contar com uma plataforma digital capaz de guiá-lo em busca de uma vida financeira confortável e duradoura.

Quer saber como fazer isso? Confira uma aula gratuita sobre como conquistar a sua liberdade financeira!

Equipe GuiaInvest

Nossa missão é ajudar as pessoas a poupar, administrar e investir seu dinheiro de maneira inteligente para que conquistem a liberdade financeira.

[Palestra Online e Gratuita]
[Palestra Online e Gratuita]
[Palestra Online e Gratuita]
[Palestra Online e Gratuita]