GuiaInvest

Qual a rentabilidade das ações?

Grande parte da população não conhece a dinâmica da Bolsa de Valores e quanto rende as ações. Mas este é o mercado com as maiores chances de trazer bons retornos para as carteiras em 2019. Dados históricos confirmam isso.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

A rentabilidade das ações é variável e depende diversos fatores. Há diferentes formas de ganhar dinheiro com ações que vão muito além da diferença entre o preço na compra e na venda. Temos ainda os dividendos, juros sobre capital próprio, bonificação, entre outros.

Saber quanto rende as ações e aprender a calcular a rentabilidade dos investimentos é fundamental ter o controle do seu patrimônio.

O Ibovespa é o principal índice da Bolsa de Valores brasileira e ajuda bastante na hora acompanhar a rentabilidade média das ações.

Para muitos brasileiros a Bolsa ainda é vista como algo muito difícil e fora da sua realidade. Isso acontece porque muitos ainda acreditam nos mitos sobre investimentos e somente 1% da população investe em ações. Temos muito o que evoluir na parte da Educação Financeira.

Se os brasileiros soubessem da rentabilidade das ações e as possibilidades de ganhos que são proporcionadas, com certeza o número de investidores seria muito maior.

Investir no mercado de capitais pode ser muito vantajoso e o cenário em 2019 promete ser o melhor momento para investir em ações.

Rentabilidade das ações nos últimos anos

O desempenho da bolsa brasileira em 2018 foi o melhor entre os principais índices de ações do mundo.

Com o terceiro ano consecutivo de alta, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, encerrou 2018 com valorização de 15,03%.

O índice se recuperou depois de seis anos de péssimos resultados, registrando ganhos de 38,9% em 2016 e 26,86% ao longo de 2017.

No de 2018, mesmo diante de um cenário interno apreensivo com as eleições e com o cenário externo turbulento, o Ibovespa entregou um rendimento de 15,03% acumulado no período. Sendo que metade dos papéis que fazem parte dessa carteira teórica encerram com valorização superior a isso.

O ano de 2018 foi marcado por muita volatilidade na rentabilidade das ações. Em janeiro de 2018 a Bolsa subiu 10%, depois teve uma queda de quase 20%, mas fechou o ano em alta e se consolidou como o investimento mais rentável do ano.

As perspectivas para o desempenho da Bolsa em 2019 continuam favoráveis.

Os analistas estão otimistas com a expectativa de retomada do crescimento econômico, consolidação das reformas estruturais, privatizações e a manutenção dos juros baixos. Isso cria um ambiente favorável para novos investimentos e altos retornos.

Média histórica da Bolsa de Valores

O principal indicador do mercado acionário brasileiro, o índice Ibovespa, foi criado em 1968. Durante seus 51 anos de história, ele demonstra um pouco da história do mercado e da economia brasileira.

Ao analisar os dados ajustados pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), podemos verificar 4 grandes ciclos de valorização e rentabilidade das ações. Bem como o pico do dia 20 de maio de 2008, quando o Ibovespa alcançou 124.269 pontos.

O 1º grande ciclo

O primeiro ciclo da bolsa brasileira aconteceu no período de maio de 1965 a junho de 1971, período que ficou conhecido como o Milagre Econômico Brasileiro.

Nessa época o país crescia fortemente atingindo PIB na casa dos 2 dígitos. Em 6 anos bolsa saiu de aproximadamente 45 pontos e chegou a 1364 pontos, alta de 2.931%.

Porém, em 1971 o mercado acionário sofreu uma queda, na qual só viria a se recuperar décadas depois.

O 2º grande ciclo

O segundo ciclo da bolsa aconteceu de agosto de 1983 e foi até abril de 1986. Durante esses 3 anos, a rentabilidade foi de 1.573%, saindo de 246 pontos para 4.108 pontos.

O 3º grande ciclo

O terceiro grande ciclo aconteceu de janeiro de 1991 a julho de 1997. E teve duração de 6 anos com alta de 3.415%.

Esse foi o ciclo mais intenso até hoje e foi impulsionado pela abertura econômica e as perspectivas sobre o plano real.

Nesse período, a Bolsa saiu de aproximadamente 370 pontos e chegou a 13.000 pontos.

O 4º grande ciclo

O quarto ciclo da bolsa teve duração de 5 anos, de outubro de 2002 a maio de 2008.

Nesse período a bolsa saiu de 2.081 pontos e foi até 44.760 pontos em dólares. Uma alta de 2.051%.

 

Depois disso, teve o pico de euforia em 2008 seguido de seis anos de perdas (de 2010 até 2015) . Seguida pela retomada nos últimos 3 anos registrando uma valorização real (acima da inflação).

Estamos em um momento de valorização da Bolsa Brasileira, com possibilidade do Ibovespa atingir os 500 mil pontos. Será esse o 5º grande ciclo?

Como você pode aproveitar esse momento? Escolhendo as ações que pagam os dividendos mais “gordos” do mercado.

Assista nossa Masterclass e conheça os segredos por trás do GI Stock Guide, e descubra como é possível receber R$ 2.154 por mês de dividendos.

Equipe GuiaInvest

Nossa missão é ajudar as pessoas a poupar, administrar e investir seu dinheiro de maneira inteligente para que conquistem a liberdade financeira.

[Palestra Online e Gratuita]
[Palestra Online e Gratuita]