GuiaInvest
Por que investir em ações no Brasil

Por que devemos investir em ações no Brasil?

O Ibovespa subiu 15% no ano passado e o otimismo para 2019 permanece. Isso já é motivo suficiente para você investir em ações no Brasil, certo? Saiba mais.

Com a recuperação econômica e a queda de juros e da inflação, investir em ações no Brasil se torna cada vez mais favorável.

O desempenho da bolsa brasileira cresceu em 2018, alcançando o melhor desempenho entre os principais índices de ações do mundo. Enquanto isso, mercados na China, EUA e Europa desvalorizaram.

Quem investiu na bolsa brasileira no ano passado teve motivos para comemorar. O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, encerrou 2018 com valorização de 15,03%.

Este foi o terceiro ano consecutivo de alta. Em 2017, acumulou ganho de 26,86% e, em 2016, registrou 38,93%, depois de perder 13,31% em 2015.

A Bolsa sempre busca antecipar os movimentos da economia. A alta de 2018 reflete os sinais de recuperação da economia brasileira e foi puxada pelo avanço das ações da Petrobras e dos bancos Itaú e Bradesco.

Se você pensa em investir em ações no Brasil este ano, o otimismo permanece. Muito disso se deve à expectativa de aprovação da reforma da Previdência apoiada pelo presidente Jair Bolsonaro.

Se entre novembro e dezembro o índice da B3 voltou a renovar sua máxima histórica e chegou perto dos 90 mil pontos, já no início de janeiro encerrou o pregão a 93.625 pontos.

Essa foi a primeira vez que o índice de referência do mercado acionário brasileiro supera os 93 mil pontos!

Diversos fatores podem repercutir no desempenho da Bolsa de Valores. Onde investir em 2019? Quais as tendências de investimento e por que investir em ações no Brasil?

Confira mais sobre isso neste post!

Cenário interno favorável

Por que investir em ações no Brasil? Para responder a essa pergunta, precisamos analisar os motivos que fizeram com que a B3 se destacasse frente à outras bolsas mundiais.

Dentre as perspectivas do mercado financeiro para 2019, existe uma expectativa otimista de recuperação da economia brasileira.

Após dois anos consecutivos de retração, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 1%. Há, inclusive, uma projeção de crescimento de 2,57% para o final de 2019.

Durante o período de crise, as empresas reduziram os custos e investimentos. Com a melhora da economia, elas estão preparadas para voltar a crescer, e isso reflete na Bolsa.

Outro fator que contribuiu para puxar o Ibovespa para cima, foi a redução da taxa básica de juros.

A taxa Selic terminou o ano em 6,5% ao ano, sua menor taxa histórica. A previsão é que a taxa de juros suba um pouco em 2019, para cerca de 7%. Mas ainda assim, é uma taxa baixa.

O juro baixo diminui o custo de captação de recursos, o que ajuda ainda mais para melhorar a rentabilidade das empresas.

Somado a isso, o mercado financeiro vive na expectativa da aprovação da aguardada reforma da Previdência no Brasil, bem como a privatização de algumas estatais, prometida durante a campanha eleitoral do presidente eleito.

Cenário externo

Por que investir em ações no Brasil

Não somente o cenário interno favorável que refletiu no desempenho da B3. A alta foi influenciada também pelo cenário externo, que se mostra complicado.

O Brasil segui o fluxo contrário dos outros países nos últimos anos. Enquanto as bolsas dos países estrangeiros subiam, o Brasil estava se recuperando das perdas acumuladas durante os anos de crise.

Agora a situação mudou e investir em ações no Brasil se mostra ainda mais vantajoso.

As bolsas americanas, por exemplo, estão com um desempenho bem abaixo dos anos anteriores. Em 2016 e 2017, o principal índice americano, S&P 500 obteve retorno em torno de 18 a 20%.

Enquanto que em 2018 somente acumulou 3%.

O aumento modesto se explica com o aumento das taxas de juros no país e com a insegurança do investidor devido à guerra comercial dos Estados Unidos com a China.

Isso interfere também nas bolsas asiáticas, resultando na queda de 20% ano da SSE Composite (Bolsa de Xangai) e na desvalorização de 5% ano da bolsa japonesa, o Nikkei 25.

Na Europa, o desempenho das bolsas também não é bom. A maior preocupação está como o Brexit, o processo de saída do Reino Unido da União Europeia.

Sem um acordo de relações comerciais entre eles, o Banco da Inglaterra projeta uma desvalorização de até 25% da libra esterlina e inflação a 6,5%.

Confira o desempenho dos principais índices em 2018:

– Ibovespa (Brasil): 15%

– S&P 500 (Estados Unidos): 3%

– SSE Composite (China): -20%

– Nikkei 25 (Japão): -5%

– DAX 30 (Alemanha): -13%

– CAC 40 (França): -10%

– FTSE 100 (Inglaterra): -9%

– Merval (Argentina): 0,76%

– Ipsa (Chile): -8%

Investir em ações no Brasil – o momento é agora!

Não perca mais tempo e comece a investir em ações no Brasil agora! As perspectivas para o desempenho da Bolsa em 2019 são ótimas.

Os analistas estão otimistas com a expectativa de retomada do crescimento econômico brasileiro, da realização de reformas estruturais, e da manutenção dos juros baixos.

Tudo isso torna os investimentos em renda fixa ainda menos atraentes. Consequentemente, as oportunidades nos investimentos de renda variável aumentam.

Já imaginou o Ibovespa em 500 mil pontos?

Descubra na nossa nova Masterclass a melhor oportunidade dos últimos 10 anos para VOCÊ FICAR RICO investindo em ações no Brasil. Não perca essa oportunidade de fazer parte da nova geração de milionários até 2022.

Verifique aqui os horários disponíveis.

Equipe GuiaInvest

Nossa missão é ajudar as pessoas a poupar, administrar e investir seu dinheiro de maneira inteligente para que conquistem a liberdade financeira.

[Palestra Online e Gratuita]
[Palestra Online e Gratuita]
[Palestra Online e Gratuita]
[Palestra Online e Gratuita]