GuiaInvest

Os melhores indicadores para analisar uma ação

Olá, amigo investidor!

No último e-mail apresentei para você conceitualmente a estratégia de Value Investing!

Hoje tenho a ambição de apresentar alguns dos principais indicadores utilizados para encontrar as melhores empresas que atendam os requisitos da estratégia.

Como o assunto é longo, vamos direto ao que interessa!

1 – Lucro por Ação (LPA)

Talvez o mais popular e utilizado indicador seja o Lucro por Ação (LPA). Ele é importante porque apresenta quanto de lucro a empresa está gerando para cada ação.

Para calcular o lucro por ação, você deve pegar o lucro líquido e dividir pelo total de ações da empresa.

LUCRO LÍQUIDO / TOTAL DE AÇÕES = LUCRO POR AÇÃO (LPA)

2 – Índice Preço/Lucro (P/L)

O índice preço/lucro (P/L) é um dos indicadores mais utilizados pelos investidores em todo o mundo.

Ele também é amplamente conhecido por múltiplo de lucros, e indica em quantos anos o investidor teria seu dinheiro retornado se todo lucro fosse distribuído em forma de dividendos.

Em geral, um P/L alto sugere que os investidores estão esperando alta taxa de crescimento dos lucros se comparado com um P/L baixo.

No geral, um alto P/L indica que os investidores esperam altas taxas de crescimento futura.

O que seria um P/L justo? Isso varia de acordo com a indústria. Nem toda a indústria tem o mesmo comportamento e as mesmas perspectivas futuras.

Para calcular o índice preço/lucro, basta dividir o preço da ação pelo LPA conforme a fórmula a seguir.

PREÇO DA AÇÃO / LUCRO POR AÇÃO (LPA) = ÍNDICE PREÇO/LUCRO (P/L)

Por exemplo, se uma empresa está sendo negociada no mercado a 36 reais/ação e o seu lucro nos últimos 12 meses foi de 2 reais/ação, o P/L para essa empresa seria de 18x.

O índice P/L é importante, mas não nos diz se a empresa está subavaliada em relação ao valor intrínseco. Ainda, esse indicador costuma variar dependendo do setor que estamos analisando.

3 – Margem Líquida

A margem líquida indica a parcela de cada real em vendas que resultou em lucro líquido. Para calcular a margem líquida, você deve dividir o lucro líquido pela receita líquida.

O resultado é apresentado sempre em termos percentuais.

LUCRO LÍQUIDO / RECEITA LÍQUIDA = MARGEM LÍQUIDA

Por exemplo, se uma empresa apresentou lucro líquido de 250 mil reais e receita líquida de 1 milhão de reais, a margem líquida desta empresa é de 25 por cento.

A margem líquida costuma variar de acordo com o setor de atuação da empresa. Por essa razão, não faz muito sentido realizar comparações de margem líquida de empresas de setores diferentes.

Existem empresas grandes que fazem muito dinheiro com 5 por cento de margem líquida, enquanto outras empresas menores precisam de margens entre 15-20 por cento para serem competitivas.

Por isso, sempre compare empresas do mesmo setor de atuação.

Uma elevada margem líquida indica que a empresa está conseguindo converter boa parte da receita em lucro líquido. Esse é o caso de empresas que são capazes de manter seus custos baixos ou conseguem cobrar preços elevados pelos seus produtos.

Saiba que empresas que apresentam elevadas margens líquidas chamam atenção para a entrada de novos competidores. O ocorrido com o segmento de meios de pagamentos eletrônicos é um ótimo exemplo! A empresa Cielo trabalhava com elevadas margens, o que acabou chamando a atenção do mercado.

Já, uma margem líquida baixa é perigosa porque deixa pouco espaço para eventuais erros. Se o custo de uma empresa com baixa margem líquida aumenta repentinamente, isso pode ser suficiente para neutralizar o lucro da empresa.

4 – ROE (Retorno sobre o patrimônio líquido)

O Roe é um indicador financeiro expressado em termos percentuais que se refere a capacidade da empresa agregar valor a ela mesma utilizando os seus próprios recursos (patrimônio líquido).

Para calcular o ROE, basta dividir o lucro líquido pelo patrimônio líquido.

LUCRO LÍQUIDO / PATRIMÔNIO LÍQUIDO = RETORNO SOBRE O PATRIMÔNIO LÍQUIDO (ROE)

Por exemplo, uma empresa que reportou lucro de líquido de 400 mil e possui patrimônio líquido de 5 milhões terá um retorno sobre o patrimônio líquido (ROE) na ordem de 12,5 por cento.

É importante destacar que lucros isolados não contam toda a história. Mesmo que duas empresas apresentem o mesmo lucro líquido, esse fato não nos diz nada sobre o capital necessário para gerar estes lucros.

Veja o exemplo a seguir:

A empresa A e a empresa B possuem o mesmo lucro líquido, porém diferentes valores de patrimônio líquido.

Lembre-se que o patrimônio líquido nos indica apenas o quanto de capital foi investido na empresa por parte dos acionistas (capital próprio).

Neste caso, a empresa A precisa da metade do capital que a empresa B precisa para gerar o mesmo valor em lucro líquido. Isso significa que a empresa A usa o seu patrimônio líquido de forma mais eficiente.

Também indica que para cada 1 real investido na empresa A, ela gera 2 vezes mais retorno em lucro do que os mesmos 1 real aplicados na empresa B.

5 – Dívida Bruta / Patrimônio Líquido

Esse indicador também utiliza o patrimônio líquido, mas inclui as dívidas de longo prazo apresentadas no balanço patrimonial.

Se dividirmos o total da dívida de longo prazo pelo patrimônio líquido, teremos o percentual de dívida sobre o patrimônio líquido.

Esse indicador nos mostra quanto de dívida uma empresa tem em relação ao seu capital próprio ou patrimônio líquido. Quanto maior a percentual, mais a empresa vai depender de dívidas para crescer.

Um alta percentual de Dívida Bruta / Patrimônio Líquido é um sinal de alerta para os investidores em valor porque indica que a empresa tem gastos elevados com pagamento de juros.

Além de ser um gasto para a empresa, o pagamento de juros deixa a empresa vulnerável a mudanças das taxas de juros do mercado, o que são muitas vezes imprevisíveis.

Ainda, dívidas elevadas podem inflar significativamente o retorno sobre o patrimônio ROE, tornando este indicador menos preciso. Em suma, você deve preferir empresas com baixo endividamento ao invés de empresas com alto endividamento.

6 – Liquidez Corrente

Esse indicador mede a capacidade da empresa de pagar suas dívidas de curto prazo. Para calcular esse indicador, precisamos utilizar 2 itens do balanço patrimonial: o ativo circulante e o passivo circulante.

O ativo circulante é uma referência aos bens e direitos que podem ser convertidos em dinheiro no curto prazo. Os ativos que são considerados circulantes são: dinheiro em caixa, aplicações financeiras, contas a receber, estoques, despesas antecipadas, numerário em caixa, depósito bancário, mercadorias, matéria-prima, etc.

Passivo circulante é uma referência as obrigações que normalmente são pagas no prazo de um ano, tais como: contas a pagar, dívidas com fornecedores de mercadorias ou matéria-prima, etc.

O calculo da liquidez corrente é bastante simples. Basta dividir o ativo circulante pelo passivo circulante.

ATIVO CIRCULANTE / PASSIVO CIRCULANTE = LIQUIDEZ CORRENTE

Veja na prática a analise destes indicadores para empresas do setor de construção civil:

Fica mais fácil para o descarte de empresa ruins, né?

Mas através do Value Investing além de escolher boas empresas, precisamos encontrar a que oferecem as maiores margens de segurança (empresas baratas).

Aposta que agora você se perguntou:

E como descobrimos se a ação está com preço atraente?

Este será o tema do próximo!

Através de metódos de valuation, te explicarei como é feito para verificar se a ação é uma barganha.

Me adicione no instagram caso queira trocar ideias sobre a temática.

@eduardo_voglino

Um abraço e bons investimentos

Eduardo Voglino

[Palestra Online e Gratuita]
[Palestra Online e Gratuita]