GuiaInvest
lições de vida de steve jobs: foque em seus objetivos

11 lições de vida de Steve Jobs para sua carreira e seus investimentos

Como a maioria das grandes personalidades, não é fácil definir Steve Jobs. Poderíamos dizer que foi o fundador da Apple e um cara que revolucionou a forma como as pessoas vivem, mas aí o tempo de leitura do artigo seria de 5 segundos, e não ajudaria em nada as suas finanças. Porém uma coisa é certa: as lições de vida de Steve Jobs podem mudar a realidade de qualquer um.

Então, vamos lá, Jobs foi demitido algumas vezes, foi sem-teto na época da faculdade, manteve negócios com prejuízo porque acreditava neles, moldou a forma como vemos e vivemos a tecnologia. Conseguia ser absolutamente racional no trabalho e abraçava a saúde alternativa e a espiritualidade oriental fora dele.

Mas o que importa mais para esse artigo são as lições de vida de Steve Jobs:

Jobs foi alguém que soube ganhar e gastar dinheiro. Soube quando era a hora de insistir e a hora de abrir mão. Alguém que criou, comprou e vendeu empresas. E, como toda pessoa de destaque, era alguém único. Daquelas pessoas que, por mais que se tente, é impossível emular. É como Niki Lauda disse certa vez: “Eu sou o melhor piloto da Fórmula 1. Apenas dei o azar de ser contemporâneo de Alain Prost”, colocando assim o francês em um outro patamar, algo além do que se espera daquela profissão.

Assim, Steve Jobs foi mais do que um inventor e empresário. Dificilmente surgirá alguém como ele – e, se surgir, não será considerado “o segundo Jobs”, e sim “o primeiro fulano”.

Isso não impede de nos inspirarmos e tirarmos da carreira de Steve Jobs algumas lições que podemos aplicar em nossa vida e investimentos. Afinal, você pode não chegar perto de, digamos, John Lennon, mas pode aprender a tocar a clássica Imagine. Então vejamos o que Jobs tem a nos ensinar:

1 – Ame o que você faz

lições de vida de steve jobs: ame o que você faz

Steve Jobs amava o que fazia, amava seus produtos, sua empresa, as pessoas que trabalhavam lá, e não se imaginava fazendo outras coisas. Jobs foi demitido da Apple e, algum tempo depois, trazido de volta para tirá-la da falência. Era o seu grande chamado na vida. Ele amava a Apple, e faria de tudo para que ela continuasse a funcionar e, mais do que isso, continuasse a ser uma força inovadora e inspiradora no mundo das empresas de alta tecnologia. Se você não sente animação nenhuma pelo seu emprego ou pelo que você faz, talvez esteja no ramo errado, ou precise repensar muitas coisas.

2 – Tenha em mente que você não pode fazer tudo

Se existe algo que Jobs aprendeu a fazer em sua carreira foi ser um gerente melhor. Após ser demitido da Apple, abrir sua nova empresa e voltar para a marca da maçã ele desenvolveu sua maneira de lidar com pessoas, e aprendeu a delegar. O mesmo vale para você. Você não precisa administrar suas finanças sozinhos. Muitos bancos oferecem diversas vantagens a seus clientes especiais, como gerentes com horário estendido. Use todas as vantagens oferecidas, ouça pessoas mais bem-sucedidas em encontros, simpósios, seja um leitor voraz. Você conseguirá muito mais ideias e insights do que se pensasse sozinho

3 – Se você quiser vender uma ideia, produto ou serviço, ponha-se no lugar da outra pessoa

lições de vida de steve jobs: ponha-se no lugar do outro

Se há algo que podia definir a Apple nos anos de Jobs era que ela sempre desenvolvi um produto que nenhuma outra empresa ousava cogitar fazer, e caía imediatamente no gosto da população. Tanto que as pessoas não hesitavam em pagar duas, três vezes mais por eles do que pagariam por similares de outras marcas. O fato é que Jobs entendia as pessoas. Entendia que elas queriam computadores de mesa que, mais do que bons, fossem bonitinhos. Entendia que elas queriam ouvir música em qualquer lugar. Entendia que elas queriam fazer mais com o telefone. E você? Mais do que entender os outros, consegue se entender? Consegue definir planos objetivos para seu dinheiro e suas finanças? E saberá aproveitar depois?

4 – Não tente vencer o jogo, redefina o jogo

Em dez anos, a Apple passou de empresa à beira da falência para aquela que deu o iPhone ao mundo. Jobs não conseguiu isso fazendo apenas o que os concorrentes faziam. Ele foi atrás, abriu novos espaços, inventou algo que todos usamos, mudou a forma do mundo ver um objeto corriqueiro.

Em finanças, muitos tentam fazer o mesmo. E, infelizmente, nessa tentativa, acabam caindo em esquemas pouco confiáveis, ou investimentos exclusivos a quem é bastante expert.

Existe um canal norte-americano no YouTube em que o apresentador diz que faz “investimentos” e que pode ajudá-lo a investir também, mas na verdade o que ele faz é comprar e vender cards, a versão gringa do álbum de figurinhas. Sim, ele ganha dinheiro com isso, mas é devido a décadas de prática. Não deve haver muitas outras pessoas no mundo capazes de ganhar a vida assim. Se quiser sair dos investimentos tradicionais, estude muito e calcule muito bem os riscos. Jobs sabia quando ousar, e seus movimentos eram baseados em conhecimento do mercado e, principalmente, do cliente. Da mesma forma, conheça o seu estilo de poupar e investir, e aplique no que conhece a acha melhor para você.

5 – Não descanse sobre os louros

lições de vida de steve jobs: não descanse sobre os louros

Por algum tempo, a Apple não teve clientes. Tinha fãs fervorosos que compravam tudo com a marca da maçãzinha. Enquanto isso, os concorrentes definhavam e desapareciam do mercado. Apple tornou-se o padrão de tudo o que é eletrônico e portátil. Nem mesmo a poderosa Microsoft conseguiu enfrentá-la no campo dos tocadores de música eletrônicos. O que se faz nessa situação? Bom, seja o que for, não pare. Por falta de concorrentes, a Apple concorria consigo mesmo, e continuou a lançar produtos melhores e melhores durante anos. A decisão de não desacelerar e continuar inovando é o que salva a empresa hoje, quando Samsung, Google e algumas outras companhias começam a crescer e a colocar as manguinhas de fora no mercado dos telefones e aplicativos. O próprio Jobs explica isso: “Acho que se você fez algo que ficou muito bom, deve ir e fazer algo maravilhoso, e não ficar parado por muito tempo. Descubra o que vem a seguir.”

Da mesma forma, você nunca vai estar com as finanças tranquilas. Reconheça que seus investimentos, mesmo com o dia a dia no piloto automático, vão precisar de revisões, e você sempre vai ter que falar com seus gerentes e conselheiros dos quais falamos acima. A economia muda, novas oportunidades aparecem.

6 – Leve a sério os seus objetivos

Vic Gundotra era vice-presidente de engenharia da Google quando recebeu um recado de Steve Jobs em seu celular, em um domingo, pedindo que retornasse imediatamente. Quando o fez, ouviu o seguinte: “Vic, temos um problema que precisamos arrumar imediatamente. Eu estava olhando o ícone do aplicativo da Google no meu iPhone, e percebi que o tom do amarelo do segundo ‘o’ está errado, já chamei alguém da minha equipe para corrigir, espero ter o ícone revisado amanhã, tudo bem para você?”

Esse tipo de coisa era comum para quem trabalhava com Jobs. Vez por outra, videoconferências aconteciam espontaneamente às 10 da noite porque alguém da equipe tinha uma ideia que precisava discutir, chamava Jobs, que chamava outros e, no dia seguinte bem cedo, a equipe tinha um novo projeto esperando em suas mesas, sem ninguém saber de onde vinha.

Esse tipo de coisa só acontece quando você tem absoluto controle e foco sobre seus objetivos e desejos. Quando você sabe o que quer, para sua carreira e seu dinheiro. Quem tem esse foco costuma ter esses insights a qualquer hora do dia ou da noite, no banho, no meio de uma conversa com amigos. Foque e coloque sua mente para trabalhar mesmo quando você não percebe.

lições de vida de steve jobs: foque em seus objetivos

7 – Pense sobre produtos, e não lucro

O objetivo de Jobs sempre foi fazer produtos bonitos, simples, que realmente ajudassem as pessoas. Ele sabia que, se conseguisse, as pessoas iriam comprar e ficariam felizes. Uma vez felizes, os lucros viriam. Da mesma forma, não pense em conseguir tal taxa de juros em um investimento. Procure primeiro algo que seja o melhor para o destino que você quer dar para aquele recurso. Os lucros virão, seja por dividendos ou pelos juros compostos.

8 – Você faz algo que sua família e amigos podem se orgulhar?

Já era comum no Brasil olhar para alguém bem de vida e dizer “esse aí deve ter aprontado”, como se o único caminho para o sucesso fosse fazer algo ilegal. Sem segundas opções. Enriqueceu, é porque “tem coisa”. E, nos últimos tempos, essa impressão para lá de errada e preconceituosa só aumentou, com a quantidade de pessoas se envolvendo em escândalos e sendo citadas em várias investigações da Polícia Federal.

Steve Jobs criou na Apple uma série de sistemas que impediam que empregados com más intenções se criassem lá dentro. Cada área tinha certas pessoas que concentravam toda a responsabilidade sobre o que acontecia ali e tinham que responder sobre tudo. Isso permitia um controle de qualidade maior, um sentido de pertencimento que não se vê muito em outras empresas. O que cada funcionário deveria responder era se aquilo que ele estava trabalhando traria orgulho para sua família. Se era bom o suficiente para o deixar com uma sensação gostosa de dever cumprido. Após Jobs, parece que essa “lei” da Apple relaxou um pouco, o que não significa que você deve relaxar. Seja lá o que você faça, deve fazê-lo bem feito, como se fosse para sua família e amigos mais queridos.

9 – Incentive e pressione

Como vimos, Jobs tinha uma personalidade workaholic e uma grande atenção aos detalhes. E exigia isso de quem trabalhava para ele. Fazia de tudo para que seus funcionários também atingissem o seu máximo, que fossem tudo o que poderiam ser. Lógico que nem todos conseguem trabalhar nesse ritmo – e não estamos aqui julgando força de vontade ou garra, mas simples personalidades. Essas pessoas vão ser felizes trabalhando em outro lugar. Jobs frequentemente clamava seus funcionários a “permanecerem famintos. Permaneçam ignorantes.” Ou seja, queria que eles nunca perdessem o desejo de fazer mais, de aprender mais, de se desenvolver. Essa é a mola que leva as empresas e carreiras para a frente, e que pode funcionar com você, também.

lições de vida de steve jobs: incentive e pressione
Steve Jobs, Apple; PC Forum, 1985
Photograph © Ann Yow-Dyson; aeyowd@gmail.com

10 – Ouça a si mesmo

Ouvir a voz dos especialistas é fundamental para permitir que você não se preocupe com o “como”.  Porém, é a sua voz, a sua intuição que deve definir o “o quê” . “Como”, “de que forma fazer”, você deixa para os outros definirem e colocarem para rodar. O que fazer, isso é sua responsabilidade. O que você quer fazer com o dinheiro daquele investimento, daqui alguns anos? O que você quer conseguir com sua carreira?

Jobs dizia: “Tenha a coragem de seguir o seu coração e a sua intuição. Eles de alguma forma sabem o que você deve se tornar.” Foi ouvindo essa voz que Steve Jobs comprou a Pixar. Perdeu dinheiro com ela por oito anos, até que veio Toy Story, e depois a compra da empresa de animação digital pela Disney. Como resultado da venda, Steve Jobs passou a ter mais ações da Disney do que da própria Apple. E então? O que a sua voz está dizendo, aí dentro de você?

11 – Amplie seus horizontes

Steve Jobs sentia que a chave para ser criativo, para ter um melhor desempenho em seu trabalho, eram experiências de vida. Durante sua vida, ele fez cursos de caligrafia, interessou-se pela espiritualidade oriental, visitou muitos países. Para ele, absorver cultura, arte e história eram essenciais. Da mesma forma, o rendimento de seus investimentos serve para você curtir a vida, enriquecer sua mente e alma. Como bônus, você conseguirá ainda mais formas de melhorar seu trabalho e carreira e, assim, conseguir ainda mais recursos.

lições de vida de steve jobs: amplie seus horizontes

Você precisa tomar as rédeas

Alcançar tudo isso tem muito a ver com assumir uma postura proativa e tomar decisões inteligentes no que diz respeito às finanças. Ficou inspirado com a vida de Steve Jobs e quer escrever sua própria história? Assista ao webinário Aprenda Como Ganhar até R$5mil por mês com Dividendos e conquiste sua Liberdade Financeira, mesmo que você tenha apenas R$ 100 para começar.

André Fogaça

André Fogaça é empreendedor digital, investidor e co-fundador do GuiaInvest. É formado em Administração de Empresas pela UFRGS e pós-graduado em Economia e Finanças pela mesma instituição. Possui credencial de administrador de carteiras e consultor de valores mobiliários pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

[Palestra Online e Gratuita]
[Palestra Online e Gratuita]