GuiaInvest
controlar emoções ao investir

Decifrando o Mito da Racionalidade: como controlar as emoções ao investir?

Você sempre age racionalmente ao lidar com seus investimentos? Infelizmente, as consequências podem ser catastróficas para aqueles que não sabem controlar suas emoções. É sobre esse tema polêmico que eu trato neste artigo.

Como controlar emoções ao investir? Decifre o mito da racionalidade ao investir e evite as consequências catastróficas de ser levado pelas emoções ao aplicar seu dinheiro em investimentos. Acompanhe as próximas linhas.

Nos últimos artigos que publiquei várias pessoas pediram dicas sobre como controlar  emoções ao investir.

Para começar a falar sobre esse assunto (que é extenso e complexo), vou reunir hoje algumas dicas que considero fundamentais para quem quer investir de maneira mais racional. Porém, já adianto que voltarei a falar sobre o tema de tempos em tempos, pois não é em um único artigo que conseguirei esclarecer todas as dúvidas sobre ele.

Além disso, também é importante dizer que não existem fórmulas secretas ou instantâneas para ser um investidor 100% racional. Como tudo na vida, o sucesso nos investimentos vem com o tempo, muito estudo e dedicação.

Decifrando o Mito da Racionalidade: como controlar  emoções ao investir?

O primeiro passo para se livrar das armadilhas da irracionalidade ao investir é identificar seu perfil

Decifrando o Mito da Racionalidade: como controlar emoções ao investir?

Nos períodos de alta, todos se consideram arrojados, mas quando a bolsa cai, a conversa muda.

Não se baseie apenas no que você acredita ser correto. Procure fazer testes de perfil, conversar com especialistas e estudar o mercado continuamente.

Outra dica importante é nunca investir recursos que estão emocionalmente vinculados e/ou que você tem planos para usar em breve. Quando investe apenas as reservas é mais fácil enfrentar os maus momentos com serenidade. Isto faz parte das táticas para controlar  emoções ao investir.

Sabe aquela história de nós, homo sapiens, sermos racionais e termos controle absoluto sobre nossas decisões, seja nos investimentos ou em qualquer esfera da vida? Isso é mentira. Que atire a primeira pedra quem nunca cometeu uma grande bobagem tomado por um impulso e se arrependeu depois.

Veja um pequeno exemplo para ilustrar como a irracionalidade está presente nos investimentos: já parou para pensar por que os títulos de capitalização fazem tanto sucesso entre clientes de bancos? Qual é a lógica de condicionar o retorno do seu “investimento” à sorte? É uma loteria, mas muitos de nós já “investimos” ou “investem” nisso. Cuidado!

Livros para compreender melhor a si mesmo

controlar as emoções ao investir

Entender melhor o seu cérebro é uma das formas de investir melhor.

Nesse sentido, recomendo fortemente a leitura do livro Previsivelmente Irracional. Nele, Dan Ariely utiliza experimentos para comprovar o quanto somos suscetíveis à nossa irracionalidade e o quanto isso afeta nossa vida e decisões.

Através de exemplos do cotidiano, o autor quebra paradigmas racionais da economia tradicional e mostra que seguir os conceitos da economia comportamental é o caminho para entendermos mais sobre nós mesmos e, consequentemente, nos tornarmos investidores mais conscientes e, por que não, mais racionais.

Comenta o autor na obra:

Embora a irracionalidade seja lugar-comum, não significa obrigatoriamente que somos indefesos. Assim que entendermos quando e onde é possível tomar decisões errôneas, podemos tentar ser mais vigilantes e nos obrigar a pensar de outra maneira acerca dessas decisões.

Outro livro que pode ajudá-lo a compreender melhor as armadilhas criadas por sua cabeça é O poder do hábito, de Charles Duhigg. Eu terminei a leitura esses dias e asseguro que os ensinamentos que lá estão mudaram minha vida.

Ambos os livros não estão 100% ligados a investimentos, mas são fundamentais para aprimorar seu autoconhecimento (o que, repito, é essencial para o sucesso nessa esfera da vida).

4 dicas para bloquear a emoção em suas decisões de investimento

controlar as emoções ao investir

No livro A lógica do mercado – Como lucrar com finanças comportamentais, o doutor e professor de Finanças da Washington State University, John R. Nofsinger, aborda vários conceitos interessantes para quem está buscando controlar emoções ao investir e ser mais racional em seus investimentos.

Extraí algumas lições da obra para você tomar nota:

1 – Saiba por que está investindo

Você será uma presa fácil da irracionalidade ao investir se não tiver seus objetivos bem traçados. Nofsinger diz que é importante estabelecer metas específicas e maneiras de alcançá-las. Tendo em mente o porquê de investir, você terá uma visão mais abrangente a longo prazo e será capaz de controlar emoções ao investir e medir seu progresso para determinar se seu comportamento é condizente ou não com suas metas.

2 – Antes de comprar uma ação, compare os critérios da empresa que está investindo com os seus próprios

Se você odeia cigarros, tem sentido investir em uma empresa do setor? Esse é um exemplo simples que serve para ilustrar a ideia do autor. Caso não haja sinergia entre você e a empresa, não invista nela. Você deve lembrar o quanto as dicas dos investidores que escrevi sobre recentemente estavam ligadas ao caráter, a se relacionar com pessoas e empresas do bem, não? John Nofsinger é mais um especialista a engrossar esse coro.

3 – Diversifique seus investimentos

A boa e velha regra de não colocar todos os ovos na mesma cesta vale quando o assunto é a racionalidade nos investimentos também. A diversificação é uma ótima estratégia para você ficar mais tranquilo e indiferente à irracionalidade do mercado e à sua própria. Nofsinger recomenda o investimento em várias empresas e de setores diferentes. Além disso, reforça as vantagens dos fundos de renda fixa e títulos públicos.

4 – Crie hábitos e evite tentações

Se você não quer comer, não existem motivos para abrir a geladeira, certo? A mesma regra é válida se deseja criar uma visão de longo prazo. Tome nota destas dicas do autor:

  • Verifique suas ações uma vez por mês: Desenvolver esse hábito vai inibir que você tome decisões baseadas em um impulso ou em um “achado imperdível” que acabou de ver.
  • Faça o mesmo com as transações: Isso vai ajudá-lo a afastar a ideia errada de que rapidez é importante. (Se você segue a análise fundamentalista e o investimento em valor, isso deve ser ignorado.)
  • Analise seu portfólio de tempos em tempos: Todos os ativos que possui hoje estão condizentes com sua filosofia, seus objetivos e seus valores? Será que eles estão alinhados com o seu futuro?

Essa foi minha primeira conversa com você a respeito de economia comportamental e razão x emoção ao investir.

Como falei no início, o assunto é extenso e me fascina. Gosto muito de estudá-lo. Portanto, no que depender de mim, pode contar com mais dicas para que você se torne um investidor cada vez mais racional e seguro de suas decisões, aprendendo a controlar emoções ao investir combinado?

Tem alguma sugestão de artigo? Deixe seu comentário. Escrevi este atendendo a pedidos de vários leitores e terei um grande prazer em responder suas dúvidas também!

Bons investimentos!

Crédito das imagens: www.shutterstock.com

Aprenda como ganhar de R$1mil a R$5mil por mês com dividendos, mesmo que tenha somente R$100 para começar.

André Fogaça

André Fogaça é empreendedor digital, investidor e co-fundador do GuiaInvest. É formado em Administração de Empresas pela UFRGS e pós-graduado em Economia e Finanças pela mesma instituição. Possui credencial de administrador de carteiras e consultor de valores mobiliários pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

[Palestra Online e Gratuita]
[Palestra Online e Gratuita]