GuiaInvest
como funciona a previdencia privada

Como funciona a previdência privada: entenda mais!

Saber como funciona a previdência privada é muito importante para quem pretende garantir um futuro tranquilo e com rendimentos mais satisfatórios.

Existem diversas opções e planos disponíveis no mercado, por isso é fundamental pesquisar e comparar o que melhor atenda às necessidades atuais e futuras. Você sabe como a previdência privada funciona e quando ela é vantajosa?

Se a sua resposta foi negativa, não se preocupe.

Neste artigo vamos explicar como funciona a previdência privada, suas características, vantagens e pontos a serem observados, a fim de fornecer informações que orientem a escolha do plano de previdência ideal, potencializando os ganhos e garantindo uma renda satisfatória depois de longos anos de trabalho. Continue a leitura e tire suas dúvidas.

Como funciona a previdência privada?

como funciona a previdencia privada

A previdência privada corresponde a uma modalidade de aplicação financeira realizada ao longo dos anos, com o objetivo de garantir uma renda mensal extra futura, para quando você parar de trabalhar.

Também conhecido como previdência complementar, esse tipo de investimento é oferecido por bancos e instituições financeiras, que apresentam planos variados e adaptáveis às necessidade e padrão de vida do contratante.

A previdência privada pode ser usada como um complemento da previdência social, uma forma de aumentar a renda durante a aposentadoria e evitar queda dos rendimentos devido ao teto de recebimento imposto pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).

Baixe a planilha gratuita: Quanto investir mensalmente para chegar à Liberdade Financeira?

Qual a diferença da previdência privada e previdência social?

A previdência social pelo INSS possui diferenças significativas em relação à previdência privada. Isso porque, na modalidade pública a contribuição é obrigatória para todo trabalhador registrado pelas regras da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Já na privada os depósitos são totalmente opcionais, sendo que, no futuro, o valor recebido será proporcional à arrecadação ao longo dos anos.

Outra grande diferença é em relação ao resgate do valor aplicado, já que na previdência social ele é possível somente depois dos anos de contribuição obrigatória e idade mínima exigida, enquanto na previdência privada esse prazo pode ser menor, de acordo com o contrato e as taxas cobradas por esse adiantamento.

Para quem a previdência privada é indicada?

A previdência privada é indicada para as pessoas que desejam ter um rendimento extra durante o período de aposentadoria.

Ela funciona como uma espécie de reserva de médio ou longo prazo, porém com rendimentos maiores que os da previdência social, podendo ainda ser dividida nas fases de:

  • acumulação: período em que o contribuinte aplica periodicamente determinada quantia que, no futuro, poderá ser resgatada e vai garantir a renda extra, conforme o valor acumulado ao longo dos anos.
  • renda: período em que o contribuinte passa a receber os rendimentos provenientes de sua previdência privada. Tem início logo após a fase anterior, sendo sua duração e retorno determinado de acordo com plano contratado. O recebimento pode ser vitalício ou apenas por determinado período.

Quais são os tipos de planos de previdência privada?

como funciona a previdencia privada

Existem 2 tipos de planos de previdência privada com indicações especificas para cada perfil de colaborador: o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre). É preciso se manter informado para fazer a melhor escolha e potencializar os retornos financeiros.

O PGBL é mais indicado para quem faz a declaração completa do Imposto de Renda, uma vez que é possível realizar a dedução de até 12%  da base tributável.

o VGBL é melhor para quem faz a declaração simplificada, profissionais liberais e para quem já contribui com 12%, uma vez que o valor não é dedutível no Imposto de Renda.

A tributação pode ser a partir das tabelas regressiva e progressiva, sendo o primeiro caso indicado para quem opta por um plano de longo prazo, já que, com o tempo, ela diminui a alíquota do IR.

Já na tabela regressiva o valor será incorporado à sua base de cálculo, sendo contabilizada na mesma tabela do IR, chegando até 27,5%, caso o valor resgatado seja alto.

Quais são as taxas cobradas na previdência privada?

A previdência privada apresenta taxas específicas que precisam ser conhecidas pelo contribuinte antes de o contrato ser assinado. São elas:

Taxa de carregamento

Corresponde ao valor cobrado pelos bancos ou instituições financeiras de acordo com o valor aplicado. A porcentagem pode variar conforme o plano e o contrato, porém geralmente a cada aporte o cálculo fica entre 0 a 3%.

Na prática, isso significa que em uma aplicação de R$ 1.000,00, com taxa de carregamento de 2%, haverá um desconto de R$ 20,00, ou seja, a aplicação após o desconto será de R$ 980,00.

Taxa administrativa

É o custo cobrado para a gestão do plano de previdência, normalmente com variação anual entre 1,5 e 3% sobre o rendimento do plano contratado. A dica é pesquisar bem e escolher as menores taxas.

Taxa de saída

É cobrada quando quando acontece o resgate antecipado do total investido e seu valor depende do contrato. Algumas seguradoras impõem prazos de carência nos primeiros anos apenas, tanto para resgate quanto para transferência do plano de previdência privada.

Investir na previdência privada é um bom negócio?

como funciona a previdencia privada

Se seu objetivo é garantir uma aposentadoria mais tranquila, com uma fonte de renda extra para complementar os ganhos com o valor pago pelo INSS, a resposta é: SIM, porém também devem ser consideradas outras opções de investimentos que podem ser vistos como uma espécie de poupança de longo prazo, que inclusive apresentam melhores rentabilidades e a mesma segurança, como Títulos Públicos, LCI, LCA e CDB, entre outros.

No geral, a previdência privada também é uma boa alternativa para quem já tem uma cartela diversificada de aplicações e deseja obter bons resultados. Não existe uma idade mínima exigida para começar as aplicações, por isso quanto antes o contribuinte começar, melhor será para ele.

Existem pessoas que, inclusive, fazem o plano logo que o filho nasce, garantindo, assim, o pagamento da faculdade da criança no futuro, ou mesmo a realização de viagens e demais sonhos que surgirem. O importante é se organizar e escolher um plano que esteja de acordo com os desejos e planejamento traçado.

Neste artigo esclarecemos pontos importantes sobre como funciona a previdência privada, suas indicações e planos disponíveis. Antes de escolher o que mais se adequada ao seu perfil, é preciso atentar-se aos benefícios de cada tipo e fazer um planejamento financeiro realista em relação a seus gastos — atuais e futuros —, assim como as necessidades, a fim de definir qual o valor necessário para garantir um padrão de vida confortável.

Quer saber mais sobre outras maneiras ainda mais rentáveis de viver uma aposentadoria tranquila e sem preocupações com dinheiro? Então faça uma aula gratuita e veja como ter uma boa renda vitalícia!

Baixe gratuitamente o nosso ebook com o passo a passo para a sua Liberdade Financeira

Equipe GuiaInvest

Nossa missão é ajudar as pessoas a poupar, administrar e investir seu dinheiro de maneira inteligente para que conquistem a liberdade financeira.

Ebook grátis:

O Plano Definitivo para Você Chegar à Liberdade Financeira

Descubra como planejar sua busca pela Liberdade Financeira começando do zero!

Baixar agora
E-book: O Plano Definitivo para Conquistar sua Liberdade Financeira