GuiaInvest

Cielo vai voltar? Taxação dos dividendos?

Alô, leitor(a)

CIELO – CIEL3

Pra quem comprar hoje ações da Cielo (CIEL3) e ficar até amanhã terá direito a participar da distribuição de juros sobre capital próprio (JSCP) que a empresa havia anunciado.

As ações passam a ser negociadas ex amanhã, dia 25 e o montante total a ser distribuído será de 78 milhões e 100 mil reais, sendo projetado 0,02879043217 reais por ação, com pagamento dia 18 de novembro.

Há poucos dias rumores sobre uma possível união entre as concorrentes Cielo e Stone fez as ações decolarem, tanto sendo possível por expectativa de valorização da cia quanto por encerramento das posições de vendidos (que acreditavam na queda e tiveram que recomprar, ajudando na valorização).

Seria aquela velha história do “onde há fumaça, há fogo”?

Gráfico diário de CIEL desde 2009:

Ambas empresas negaram a conversa de possível acordo.

Cielo registrou lucro líquido de 431 milhões no 2º trimestre de 2019, sendo 33 por cento menor que o mesmo período em 2018.

Ainda comparando o mesmo período, a receita operacional e a receita líquida apontaram queda de 4,4 por cento.

Um pequeno alívio foi que o volume de transações aumento 8,9 por cento, comparando-se mesmos períodos, e uma leve alta de 0,9 por cento se formos comparar o 1º com o 2º tri de 2019.

Ainda temos que lembrar que o grupo japonês Softbank está analisando cerca de 40 empresas no Brasil para fazer investimentos, que deve anunciar novidades já próximas semanas, sendo um deles um de grande montante financeiro.

O fundo foi anunciado em março e promete investir 5 bilhões de dólares somente em projetos de tecnologia na América Latina.

O grupo já possui, no Brasil, cerca de 15 por cento do Banco Inter e também fez aportes nos famosos Rappi, Creditas, Gympass, QuintaAndar e Loggi e no mundo faz parte das conhecidas Alibaba e Uber e 99 (através da china Didi Chuxing, que é a dona).

Um executivo do grupo disse que estão avaliando também oportunidades nas áreas de transporte, logística, agronegócio, saúde, dentre outras opções.

TAXAÇÃO DE DIVIDENDOS

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) vai analisar hoje a proposta que pode cobrar Imposto de Renda sobre a distribuição de lucros e dividendos.

O projeto de autoria do senador Otto Alencar (PSD-BA) (Projeto de Lei 2.015/2019) fala em acabar com a atual isenção para uma cobrança, retida na fonte, a partir de 15 por cento para as distribuições, podendo chegar a 25 por cento para quem é beneficiário pelo regime fiscal nos famosos paraísos fiscais.

A cobrança foi de 1926 a 1995, quando a Lei 9.249/1995 previu a isenção.

Jorge Kajuru (Patriota-GO), que é relator do projeto, está favorável a aprovação.

Mesmo que aprovado, ainda acredito que os dividendos farão sentido e as empresas vão se adaptar para continuar pagando bons proventos, ainda mais com as reduções da taxa Selic, que ainda deve ter novos cortes.

Estou de olho nessas decisões.

Abs e bons investimentos

Adriano Severo