GuiaInvest

A Volta dos Mortos Vivos (Turnaround)

Olá, amigo investidor!

Tenho um amigo de longa data chamado Guilherme. Ele tem uma empresa há mais de 10 anos que desenvolve e produz peças para motocicletas de altas cilindradas.. Seu hobby se tornou sua profissão!

Até o ano de 2016 tudo estava indo bem! As vendas cresciam, novos clientes surgiam, o produto tinha alto grau de aprovação e conseguiam atender às necessidades que vinham surgindo neste setor.

Mas no início de 2017 um concorrente mudou o cenário!

Guilherme percebeu que seus clientes estavam migrando para o concorrente. As vendas começaram a cair e, com isso, lucratividade e rentabilidade despencaram.

O tempo passou e Guilherme percebeu que ainda tinha dinheiro para pagar os funcionários, mas se medidas não fossem tomadas, um caos interno poderia ocorrer.

Ficou claro que em algum momento seu negócio entrou numa rua sem saída e precisava pegar uma nova rota.

Neste momento, preocupado e fragilizado com a situação, ele se deparou com o desafio de descobrir como recuperar uma empresa endividada e quase falida.

Você deve concordar que o ser humano naturalmente aprende na dor…

Guilherme analisou de forma mais detalhada o concorrente e compreendeu os seus principais diferenciais.

Claramente ele percebeu que seu concorrente havia direcionado energia e investimentos para vendas online, ao contrário de sua empresa, que possuía a estratégia comercial apenas no campo físico (offline).

Uma grande reestruturação iniciou neste momento.

Guilherme construiu uma equipe nova, especializada em e-commerce, e remodelou seu negócio.

Por óbvio, o processo foi sofrível, porém necessário. Mas essa medida retomou o crescimento da empresa.

Sabe quando um lutador de boxe está preso no canto do ringue, a ponto de ser nocauteado, e em seu último suspiro, ele aplica esperançoso seu golpe no queixo do oponente?

O golpe certeiro mudou o destino da luta.

É exatamente essa virada de jogo que no mundo dos negócios chamamos de turnaround.

Recuperar-se e revitalizar-se são as palavras-chave para quem passa por esse momento. Os objetivos, claro, envolvem a restauração do equilíbrio financeiro e a volta à competitividade para uma recuperação empresarial por completo.

Sabe qual empresa passou por esta situação recentemente?

A Magazine Luiza (MGLU3)

“O nosso plano tem uma visão, transformar a empresa, que hoje é uma empresa de varejo tradicional com uma área digital, em uma empresa digital com pontos físicos.”

Foram as palavras do CEO (Frederico Trajano) da Magazine Luiza em 2015, quando a ação era cotada a aproximadamente 2 reais.

Após 4 anos e a reestruturação do negócio a ação é cotada em 190 reais.

Quer dizer então que basta eu encontrar uma empresa com resultados ruins, passando por um processo de reestruturação que vou auferir ganhos desta magnitude?

Respondo com um enfático NÃO!

Os riscos de se investir em ações que estão em processo de turnaround são enormes.

A lei da relação risco x retorno sempre irá se sobrepor a tudo.

Empresas em processos de turn around devem ser avaliados caso a caso, buscando analisar o grau de dificuldade.

Considero como turnaround mais desafiadores os que apresentam empresas com alto grau de endividamento, setores em decadência e margens reduzidas.

Mais do que apenas números, nestes momentos é especialmente válido considerar a capacidade técnica dos novos gestores.

Veja algumas empresas que estão em processo de turnaround:

Perceba que essas empresas estão com margens negativas, endividamento elevado (exceção da Oi que recebeu aporte) e com prejuízos.

O único motivo para uma decisão de investimentos sobre estes ativos, seria a possibilidade de um real turnaround.

O risco é grande. Você concorda que as chances de seus negócios se deteriorarem é maior do que uma retomada de lucros, certo?

Entretanto, caso essas empresas acertem seu golpe certeiro, seus retornos serão mais do que satisfatórios.

Veja o exato momento de virada da Magazine Luiza.

Interessante a retomada dos lucros, concorda? E lembrando que os lucros justificam os preços!

*Linha laranja é o lucro e a azul são os preços.

Em sua opinião, vale a pena investir em empresas turnaround? Se preferir, me responda diretamente no Instagram @eduardo_voglino!

Bons Investimentos,

Eduardo Voglino

 

Equipe GuiaInvest

Nossa missão é ajudar as pessoas a poupar, administrar e investir seu dinheiro de maneira inteligente para que conquistem a liberdade financeira.

[Palestra Online e Gratuita]
[Palestra Online e Gratuita]