GuiaInvest
7 dicas para investir em ações por conta própria

7 Dicas para Investir em Ações por Conta Própria

Este artigo é um guia prático para quem quer investir em ações e ter uma taxa de retorno de 15% ao ano ou mais, sem correr riscos desnecessários.

Este artigo é um guia prático para quem quer investir em ações e ter uma taxa de retorno de 15% ao ano ou mais, sem correr riscos desnecessários.

Toda a nossa filosofia de investimentos é baseada em um método simples. Queremos que pessoas comuns e iniciantes possam investir tranquilamente, sem ter que se preocupar com o sobe e desce da bolsa e sem ter que passar o dia inteiro de olho em gráficos.

Na verdade, o que ensinamos é uma forma bem conservadora de se investir em ações. Acreditamos que pessoas comuns possam ter retornos acima da renda fixa sem ter que correr riscos, nem ter que ficar torcendo pela cotação das suas ações subirem.

E sinceramente, investir em ações não deve ser algo emocionante.

Tratamos investimento em ações como um hábito de rotina, como higiene pessoal, como prática de exercícios físicos, como consultas médicas periódicas, etc.

Mas o que queremos dizer com isso?

Queremos dizer que investir regularmente faz bem e você deve fazer isso sempre, pois só assim irão aparecer os resultados desejados.

Agora perguntamos: isso não parece muito mais razoável do que aquela ideia que propagam que o mercado financeiro é uma loucura, com gráficos complicados, com termos complexos e com gritos de “compra” e “vende”?

Se sua resposta foi positiva, fique aqui e leia esse artigo até o final. Lendo esse artigo até o final você vai saber:

  1. O que significa, na prática, investir em ações
  2. Os riscos de se investir em ações
  3. Quais os principais benefícios de se investir em ações
  4. Qual o tipo ideal de ação para você comprar
  5. Como reduzir os riscos do investimento em ações
  6. Por quanto tempo você deve investir em ações
  7. As corretoras de valores que mais gostamos (e como comprar uma ação nela)

 

1 – O que significa, na prática, investir em ações

Quando você compra uma ação, na prática, você adquire uma participação em uma empresa, se tornando um sócio.

Como você é um sócio, tem direito a receber a distribuição dos lucros aos acionistas através dos dividendos e juros sobre capital.

Você deve sempre lembrar disso ao investir em ações.

Entrar no mercado de ações com essa mentalidade já é capaz de reduzir enormemente os riscos que você assume.

Pense que uma vez que você decide comprar ações para ser sócio de uma empresa, você vai querer estar participando de boas companhias, com bom histórico de resultados financeiros. Antes de olhar para a cotação de uma ação na bolsa, é fundamental ter atenção à qualidade da empresa.

 

2 – Os riscos de se investir em ações

O mercado financeiro é movido por pânico e euforia.

Mesmo que uma ação não apresente nenhum motivo razoável, sua cotação pode cair 10%, 20%, 30% em poucos dias por um movimento de manada. Da mesma forma que isso pode ocorrer no sentido contrário: uma ação sem nenhum motivo razoável pode disparar, que é o que acontece em bolhas especulativas.

Esses movimentos, na verdade, falam sobre o humor do mercado, não exatamente sobre o que está acontecendo nessa ou naquela empresa.

O grande risco nesses momentos é o investidor se assustar com alguma queda brusca e vender as ações no prejuízo. Infelizmente, isso é uma armadilha que muitos investidores acabam caindo, criando traumas que impedem eles de voltarem a investir na bolsa de valores posteriormente.

Por isso, o GuiaInvest acredita que a melhor forma de você começar a investir na bolsa é utilizando a abordagem de ser sócio de bons negócios. Isso não só reduz o risco das suas operações, como também permite que você tenha um comportamento mais racional nos seus investimentos.

 

3 – Quais os principais benefícios de se investir em ações

O grande benefício de investir em ações é se tornar sócio de negócios sólidos, lucrativos e que geram valor ao acionista em forma de dividendos.

Na B3 (Brasil, Bolsa e Balcão), você pode adquirir ações de empresas consagradas, como Ambev, Itaú, Banco do Brasil, Petrobras, Vale, etc.  Claro que isso não é uma recomendação de compra das ações dessas empresas, mas servem de exemplo que você pode ser sócio de empresas que estão presentes no seu dia-a-dia.

 

4 – Qual o tipo ideal de ação para você comprar

A forma mais simples e efetiva de investir em ações é mantendo o foco em empresas de qualidade.

No item 1, já esclarecemos: compre ações de empresas que você deseja ser sócio. Para isso, é importante escolher negócios lucrativos para fazer parte, isto é, com histórico consistente de lucros, baixo endividamento, boa gestão administrativa e boa governança.

É importante observar também se a empresa possui histórico de pagamento de dividendos aos acionistas.

Lembre: antes de querer se perguntar se alguma ação está barata, fique atento à qualidade.

É preferível comprar um bom negócio a um preço razoável do que comprar um negócio razoável a um bom preço.

 

5 – Como reduzir os riscos do investimento em ações

Existem formas bem simples de minimizar os seus riscos.

A primeira é a mais importante: você não terá apenas ações, mas sim terá de equilibrar uma carteira entre renda fixa (Tesouro Direto) e renda variável (ações de boas empresas).

A segunda forma é a diversificação. Você não terá ações de uma única empresa, tampouco terá ações concentradas em um único setor.

O ideal é você ter entre 8 e 12 ações. Mais do que isso será difícil de controlar. Menos do que isso deixará você com um portfólio concentrado.

Você não precisa ter empresas de todos os setores, mas é bom ter ao menos 4 setores diferentes. Para citar alguns exemplos, existem ações do setor financeiros, setor elétrico, setor de alimentos, setor de construção, etc.

Escolher ações que pagam bons dividendos historicamente é uma boa forma de minimizar o risco. Primeiro porque historicamente elas possuem menos volatilidade que ações que não pagam e, segundo, porque elas geram um fluxo de caixa recorrente para você.

Por fim, faça pequenos aportes constantemente. Comprar ações recorrentemente utilizando pouco dinheiro é mais seguro do que colocar muito dinheiro em ações de uma única vez.  Quando você compra ações de uma única vez, você fica ancorado em um único preço e você pode sofrer alguma desvalorização do seu investimento no curto prazo.

Oscilações negativas são normais e isso não pode ser motivo de você vender as suas ações.  

Você só vende uma ação quando ela perde os seus fundamentos, isto é, quando deixa de ser uma empresa boa.

Quando há queda nos preços sem perda de fundamentos, avalie comprar mais ações da empresa em questão, pois isso irá reduzir o seu preço médio de aquisição.

 

6 – Por quanto tempo você deve investir em ações

Compre uma ação considerando que você pode passar o resto da vida com ela. Por isso é importante a escolha de negócios bons e perenes.

Enquanto você não vende a ação, você ficará recebendo dividendos cada vez maiores, conforme a evolução do negócio.

Esses dividendos recebidos permitirão que você compre mais ações sem “dinheiro novo”.

Como comentamos no item anterior, você só vende uma ação quando ela perde os seus fundamentos ou quando atingir um patamar de preços desproporcional aos seus fundamentos.

Essa é a filosofia de grandes investidores em ações.

 

7 – As corretoras de valores que mais gostamos

Você precisa necessariamente de uma corretora de valores para investir em ações.

O único custo de comprar ações é o custo de corretagem.

Praticamente nenhuma corretora cobra taxa de custódia de ações nos dias de hoje.

O custo de corretagem não pode impactar na sua decisão de investimento.

Hoje em dia, a Clear Corretora é a empresa que possui a menor corretagem do mercado, cobrando apenas R$ 0,80 por ordem. Costumamos sugerir ela pela vantagem no preço e porque tivemos uma experiência boa com a plataforma. Mas que fique claro: não possuímos nenhuma relação comercial com a corretora.

Existem outras corretoras com bons serviços: Easynvest, Rico, Xp, Guide, etc.

Para quem optar por abrir uma conta na Clear e investir por lá, deixamos aqui um vídeo de como comprar uma ação utilizando o homebroker deles.

 

Conclusão

Agora você já sabe tudo o que é fundamental para começar a investir em ações por conta própria.

Só com essas informações você já tem um panorama geral adequado para tomar decisões coerentes e não cometer erros graves.

Mas antes de sair comprando qualquer ação por aí, é importante que você saiba com escolher ações de qualidade. 

Pensando em resolver esses problemas de um investidor iniciante e que quer investir de maneira simples, segura e rentável, montamos um masterclass exclusivo sobre como montar uma carteira de ações focada em boas empresas pagadoras de dividendos.

Lá ainda faremos uma simulação de quanto você precisa investir e quanto tempo você precisa ficar investindo para Dobrar a sua Renda com Dividendos.

Clique no link e garanta uma vaga.

Ps.: quem ficar até o final da aula, receberá a oportunidade de ter acesso a carteira de ações do André Fogaça.

Equipe GuiaInvest

Nossa missão é ajudar as pessoas a poupar, administrar e investir seu dinheiro de maneira inteligente para que conquistem a liberdade financeira.

Ebook grátis:

O Plano Definitivo para Você Chegar à Liberdade Financeira

Descubra como planejar sua busca pela Liberdade Financeira começando do zero!

Baixar agora
E-book: O Plano Definitivo para Conquistar sua Liberdade Financeira