Blog do GuiaInvest
leis do investidor inteligente

As 3 Leis Mais Poderosas de Todo Investidor Inteligente

Hoje quero falar sobre 3 conceitos que considero primordiais que você conheça, compreenda e pratique. Se fizer bom uso deles, estará anos luz à frente da manada e terá dado um enorme passo para ser um investidor em valor de respeito. Faço questão de reforçar estas “três leis” porque vejo muitos investidores, mesmo os já iniciados no value investing, se esquecendo de utilizá-las. E, confie em mim, elas são pilares fundamentais para o sucesso nos investimentos. Vamos lá?

Todo investidor inteligente tem seus métodos de aplicação, mas existem 3 Leis poderosas que fazem toda a diferença nos resultados. Conheça quais são elas.

Eu já escrevi muito aqui no blog sobre ideias, conceitos, reflexões e estratégias ligadas ao value investing. Sempre que vou iniciar a produção de um texto, recorro a livros e a artigos de grandes investidores e empreendedores que admiro para embasar meu raciocínio.

E durante minhas pesquisas e estudos, volta e meia me deparo com lições ou inspirações de . Uma de suas obras, O investidor inteligente (1949), provavelmente pode ser considerado o principal título publicado no Brasil sobre o assunto. Você precisa ler para compreender o value investing em sua essência!

Há dezenas de conceitos no livro que merecem ser debatidos, mas hoje quero me ater a três que considero primordiais que você conheça, compreenda e pratique. Se fizer bom uso deles, estará anos luz à frente da manada e terá dado um enorme passo para ser um investidor em valor de respeito.

Faço questão de reforçar estas “três leis” porque vejo muitos investidores, mesmo os já iniciados no value investing, se esquecendo de utilizá-las. E, confie em mim, elas são pilares fundamentais para o sucesso nos investimentos. Vamos lá?

1. Seja um investidor inteligente: Faça o Senhor Mercado trabalhar para você

seja um  investidor inteligente faça o mercado trabalhar pra você

O senhor Mercado, como você leu aqui, é um personagem curioso. Se às vezes ele demonstra ser o camarada mais otimista e generoso do mundo, não raramente está em crise, perde o controle e desaba num mau humor insuportável.

O seu desafio – já que ele é um turrão que não vai mudar – é entender que essa característica faz parte do jogo, aprender a lidar com ela e, melhor, tirar proveito disso. É essa postura que irá diferenciá-lo da manada.

Em O investidor inteligente, Graham revela que ter um método quase automático para saber a hora de comprar e a hora de vender uma ação é a receita para transformar em lucro o humor do senhor Mercado.

Mesmo um investidor inteligente e que sabe o que está fazendo precisar estar 100% atento para evitar acompanhar a multidão.

O método proposto por Graham, muito mais por levar em conta especificidades da natureza humana do que cálculos de ganhos ou prejuízos financeiros, funciona da seguinte forma: à medida em que o mercado sobe, de tempos em tempos, você deve vender ações e aplicar os rendimentos em investimentos conservadores. Então, quando o mercado está em queda, o procedimento deve ser invertido.

Segundo Graham, dessa forma, você conseguirá organizar sua agenda de maneira que seja possível investir energia em atividades muito mais importantes.

Se for o tipo certo de investidor, tirará satisfação adicional da noção de que suas operações são exatamente opostas àquelas da multidão.

Por fim, você terá a certeza de que aprendeu a lidar com o imprevisível humor do senhor Mercado.

2. Uma ação é, sobretudo, parte de um negócio

uma ação é parte de um negócio

Jamais se deixe enganar pela sopa de letrinhas que compõe os códigos das ações que possui. Quando investe, você não paga apenas pela possibilidade de lucrar, paga para se tornar sócio de um negócio que estudou a fundo (assim espero!) e que acredita no potencial de crescimento/valorização.

Já vi muitos investidores ignorarem fundamentos e fazerem compras ou vendas desastrosas. Como diz Graham:

Se você deseja especular, faça-o com os olhos bem abertos, sabendo que provavelmente perderá dinheiro no fim; certifique-se de limitar a quantia em risco e de separá-la completamente de seu programa de investimento.

Portanto, se você quer preservar seu bolso (e sua sanidade), nunca se esqueça do que realmente significa investir em ações. A lógica é simples: a partir do momento em que comprar a ação, você será dono de parte da empresa. Ao lado de quem você quer estar sendo um investidor inteligente?

Reflita, analise e investigue para poder tomar uma decisão clara, isenta e racional. Estas seis perguntas vão ajudá-lo a fazer bons negócios:  

  1. O negócio em que estou investindo é simples e compreensível?
  2. A empresa possui um histórico consistente?
  3. A empresa tem perspectivas favoráveis de longo prazo?
  4. A administração da empresa é racional em suas decisões?
  5. Qual é o retorno sobre patrimônio atual?
  6. Quais são as margens de lucro?

Se quiser ler mais e se aprofundar na compreensão desses tópicos, o que recomendo fortemente é que leia este artigo. Nele, falo sobre o que você precisa observar em uma empresa antes de comprar uma ação. É mais um checklist da cartilha do investidor inteligente de Benjamin Graham!

3. A margem de segurança é sua melhor amiga

margem de segurança

A margem de segurança é a diferença entre o preço que você pagou pela ação e o valor intrínseco dela. Ou seja, se você fez sua lição de casa e chegou à conclusão de que o preço real de uma determinada ação é 10 reais, mas ela está sendo vendida a 6 reais, sua margem de segurança é igual a 4.

Na lógica de Graham, a beleza da margem de segurança é que quanto menor o preço que você pagar, maior ela será – o que é exatamente o oposto de quando pensamos no conceito de risco x potencial de retorno.

Seth Klarman, que é autor de Margin of Safety (1991), livro sobre o qual escrevi aqui, afirma que a margem de segurança ocorre quando “uma ação é comprada a um preço suficientemente abaixo do seu valor para permitir espaços para um erro humano, azar e volatilidade extrema em um complexo e imprevisível mundo que está em constante mudança“.

Investir em ações baseado no value investing tem muito a ver com comprar excelentes empresas, mas também, com comprá-las no momento certo. E é quando você entende esse conceito simples e direto que as três leis mais poderosas do investidor inteligente se encontram.  

Pra você não esquecer nunca mais:

  1. Faça o senhor Mercado trabalhar para você.
  2. Lembre que uma ação é, sobretudo, parte de um negócio.
  3. A margem de segurança é sua melhor amiga.

Sugiro que escreva essas frases em um papel e cole na sua geladeira. Relê-las todos os dias vai fazer com que você nunca mais as esqueça.

Bons investimentos!

(Crédito das imagens: shutterstock.com)

Aprenda como ganhar de R$1mil a R$5mil por mês com dividendos, mesmo que tenha somente R$100 para começar.

André Fogaça

André Fogaça é empreendedor digital, investidor e co-fundador do GuiaInvest. É formado em Administração de Empresas pela UFRGS e pós-graduado em Economia e Finanças pela mesma instituição. Possui credencial de administrador de carteiras e consultor de valores mobiliários pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Ebook grátis:

O Plano Definitivo para Você Chegar à Liberdade Financeira

Descubra como planejar sua busca pela Liberdade Financeira começando do zero!

Baixar agora