Blog do GuiaInvest
erros que os investidores cometem

Os 10 Erros Mais Comuns que os Investidores Cometem (e como evitá-los)

Os investidores, por mais experientes que sejam, não estão imunes a erros. Se você quer saber quais são os mais comuns, acompanhe as próximas linhas e previna-se!

Os investidores, por mais experientes que sejam, não estão imunes a erros. Se você quer saber quais são os mais comuns, acompanhe as próximas linhas e previna-se!

A falta de conhecimento sobre o mercado de ações faz com que muitas pessoas o considerem perigoso. Apesar de discordar desse pensamento, acho ele compreensível. Afinal, é natural ter medo e receio daquilo que não conhecemos, não é verdade?

Outro fato que ajuda a alimentar o temor referente ao mercado de ações é a quantidade enorme de histórias de pessoas que perderam dinheiro investindo na bolsa. Segundo estatísticas, cerca de 90% daqueles que investem em ações já arcaram com algum prejuízo nessa modalidade de investimento.

Mas por que isso acontece? Por que tanta gente perde dinheiro na bolsa de valores?

A verdade é que não existe uma única estratégia de investimento que funcione em todas as situações, mas existem algumas que fazem mais sentido do que outras. No entanto, muitas vezes, o que leva as pessoas a perderem dinheiro não diz respeito à estratégia utilizada, mas, sim, a alguns erros (tolos) cometidos.

Você pode aumentar significativamente suas chances de sucesso estando ciente desses erros e, ao mesmo tempo, aprendendo a evitá-los. E eu posso ajudar você nessa missão.

Os 10 erros mais comuns que os investidores cometem (e como evitá-los)

A seguir, você vai conhecer e aprender a identificar os dez principais erros que os investidores cometem na bolsa de valores. Espero que você não esteja cometendo nenhum deles. Mas, caso esteja, é sempre hora de corrigir.

Boa leitura!

1. Investir todo seu dinheiro em ações de uma só vez

investir todo dinheiro de uma vezSe você estiver começando, investir todo seu dinheiro em ações de uma única vez é uma péssima ideia.

Ao colocar todos os “ovos na mesma cesta”, você não somente aumentará o risco geral da sua carteira de ações, mas, o que é mais grave, ficará mais vulnerável e desprotegido, em caso de eventuais perdas.

E o problema pode ser agravado quando, além de investir apenas em um tipo de ativo (no caso, ações), você comprar ações de uma única empresa.

Nesse caso, o risco será extremamente elevado, porque caso esta empresa enfrente dificuldades de diferentes ordens, você poderá perder parte considerável do seu investimento.

A recomendação, então, é investir aos poucos e de forma regular, mas nunca tudo de uma só vez.

E lembre-se: nunca ultrapasse 70% de seu patrimônio em ações. Reserve pelos menos 30% para aplicações mais conservadoras, como por exemplo, CDBs, LCI, LCA, títulos públicos, debêntures, etc.

2. Seguir as dicas “infalíveis” de outros investidores

Fique longe de atalhos, dicas “quentes” ou “segredos infalíveis” para obter sucesso no mercado de ações. Tais promessas consumirão seu tempo e dinheiro, sem gerar qualquer retorno positivo para sua carteira de ações.

Não dê ouvidos para recomendações de compra ou venda de ação de determinada corretora, muito menos de outros investidores. Eles podem estar agindo por interesse próprio.

Para ter sucesso como investidor em ações, você precisa aprender a pensar por conta própria. Isso porque ganhos e perdas com ações são proporcionais ao dinheiro aplicado, ao tempo do investimento e, por fim, ao conhecimento do investidor.

Por isso, a melhor dica é focar em conhecimento, ser disciplinado e paciente. A construção de um patrimônio sólido em ações demanda tempo.

3. Comprar ações na alta e vender na baixa

Para ganhar dinheiro investindo em ações, é fundamental comprá-las na baixa e vendê-las na alta. Simples, concorda? Porém, apesar de elementar, esta regra não é seguida à risca por muitos investidores, que fazem justamente o inverso.

Uma das primeiras razões para este equívoco ocorrer decorre do fato de que, em geral, muitos investidores seguem recomendações de outras pessoas cegamente, que, não raro, são leigas (verdadeiros amadores), sem o conhecimento técnico suficiente para opinar sobre um assunto tão determinante em nossas vidas, que, afinal, diz respeito às nossas finanças pessoais.

Esse erro ocorre porque nós, seres humanos, somos naturalmente movidos por emoções e, por isso, é natural que nos deixemos influenciar por momentos de euforia ou pessimismo. Para não cair na armadilha de sempre seguir a multidão, você deve agir movido por suas próprias convicções.

A respeito de evitar cair no erro de comprar na alta e vender na baixa, você deve, principalmente, levar em conta os ensinamentos do value investing, em especial a margem de segurança, que já expliquei neste artigo.

4. Negligenciar taxas e custos de transações

Ao investir em ações, você poderá ser induzido a cometer o erro de realizar operações com bastante frequência. Isso acontece porque o mercado oscila muito, e você fica tentado a querer aproveitar o máximo de oportunidades.

Nessa situação, é compreensível que você fique propenso a fazer mais operações do que normalmente faria se o mercado fosse menos turbulento, por exemplo. Mas isso não significa que você terá mais resultado, porque as taxas e os custos de corretagem podem eliminar toda a sua rentabilidade.

Esse é um erro comum cometido pelos iniciantes no mercado de ações. Lembre-se: quanto mais movimentações você realiza, menor tende a ser o seu retorno, pois os custos de transação corroem os seus rendimentos.

A dica é planejar bem as suas movimentações, a fim de reduzir ao máximo estes custos. Acredite: apesar de aparentemente baixo, o valor destas taxas pode acarretar prejuízo no longo prazo.

5. Confundir especulação com investimento

especulação x investimento

Investir em ações é comprar pequenas participações em empresas com o objetivo de obter lucro. Quando você adquire estas participações, você está se tornando sócio destas empresas.

Especular, por sua vez, é o ato de realizar transações de curto ou médio prazo, aproveitando-se apenas das variações de preço para tomar sua decisão. O especulador não se importa com os fundamentos da ação que está sendo negociada. Já o investidor, sim.

Não há nada de errado em especular, desde que você não confunda especulação com investimento e, principalmente, tenha muita experiência. Tanto os investidores quanto os especuladores são importantes para a dinâmica do mercado.

Ambos complementam-se para que as operações de compra e venda se realizem. Descubra que tipo de papel você deseja desempenhar – sem jamais confundir os dois conceitos – e vá em frente.

6. Investir em algo que você não entende

É impressionante a quantidade de pessoas que compram ações de empresas das quais elas não sabem sequer o nome. É comum também as pessoas ignorarem a área em que atuam as empresas em que investem. As consequências de agir desta forma podem ser catastróficas.

Um investidor sério jamais investe seu dinheiro no que desconhece. E não é preciso saber nos mínimos detalhes todas as informações sobre a empresa. Muitas vezes, algum conhecimento já elimina boa parte do risco de perder dinheiro.

Irving Kahn, o homem que lucrou ate na crise de 1929, defende uma tese muito interessante que tem a ver com comprar ações de empresas que fazem parte do seu dia a dia. Leia aqui sobre a filosofia do “todo mundo precisa de uma camisa nova”.

Quando você comprar uma ação, certifique-se de que conhece o que está comprando e de que sabe por que está fazendo este investimento. Faça perguntas como:

  • O que esta empresa faz?
  • Quais produtos ou serviços ela oferece?
  • Eu entendo como funciona o seu negócio?
  • Eu me sinto confortável em investir nesse tipo de negócio?

A dica é sempre investir apenas naquilo que você compreende. Você deve saber o que está fazendo.

7. Comprar ações de empresas ruins (micos)

Comprar ações de empresas que não apresentam bons números financeiros é uma péssima escolha. Apesar disso, muitos ainda perdem dinheiro colocando suas economias em empresas “ruins”, acreditando que terão lucros rápidos.

E esse tipo de investimento ocorre, entre outros motivos, pelo já explicado equívoco que as pessoas cometem de “seguir a multidão”.

Fuja de investimentos em empresas que apresentam prejuízo, porque a rentabilidade das ações está ligada, na maior parte das vezes, aos lucros das companhias. Pense que ao investir em uma ação você estará se tornando sócio desta empresa.

A dica é sempre se questionar: vou me sentir confortável sendo sócio de uma empresa que comercializa produtos ou serviços de péssima qualidade ou, de empresas que apresentaram prejuízos nos últimos cinco anos?

8. Comprar e vender ações levado pelas emoções

A dinâmica do mercado de ações é influenciada por sentimentos de medo, pessimismo, ganância e euforia. É comum que investidores fiquem excessivamente ligados aos seus investimentos, o que estimula o proliferação destes sentimentos.

Para ser bem sucedido, você não deve cometer o erro de se deixar levar pelo comportamento irracional dos outros investidores. Não se deixe influenciar por notícias ruins, recomendações de analistas, relatório de corretoras, etc. Tudo isso só serve para que você perca o foco no seu objetivo.

É importante você entender que, muitas vezes, o mercado de ações se comporta irracionalmente no curto prazo. E você deve ser racional nas suas decisões. Busque conhecimento, tenha objetivos bem definidos e siga sua estratégia rigorosamente.

Só assim você conseguirá não ser influenciado pelo comportamento maníaco-depressivo do Senhor Mercado.

9. Vender as vencedoras e manter as perdedoras

investidores comprar e vender açõesEstudos identificaram que há uma tendência dos investidores relutarem a se desfazer de ações que estão gerando prejuízo. Enquanto, por outro lado, vendem rapidamente as ações que estejam apresentando lucros.

A explicação encontrada para essa ocorrência é que os investidores são mais avessos a risco para ganhos certos, porém tomadores de risco para evitar perdas.

Ainda, nestes mesmos estudos, como forma de explicar esse fenômeno, os pesquisadores descobriam que o prazer gerado pelo lucro de R$ 1 mil é menor que a dor de uma perda de mesma magnitude, por exemplo.

Se você tem uma estratégia bem definida e fez um bom trabalho de análise, não há razão para se desfazer de uma posição logo após o primeiro lucro e, muito menos, de querer vender suas ações no primeiro momento de pessimismo.

Para o sucesso como investidor de ações, você dever considerar um horizonte de longo prazo e ser firme nos seus objetivos.

10. Negligenciar a importância da diversificação de ações

Mesmo que você só saiba o básico sobre investimentos, é provável que já tenha escutado o conselho de diversificação.

Sim! Apesar de popular, muitos investidores cometem o erro de não diversificar e acabam, em muitos casos, perdendo grande parte do seu dinheiro.

Já pensou no quão desagradável seria investir tudo em uma única ação e ver ela cair mais de 80% no período de um ano? Por isso, esse conselho tão antigo não pode ser negligenciado.

Quando montar sua carteira de ações, você deve ter o cuidado de diversificar tanto na quantidade de ativos, quanto nos setores de atuação. Empresas do mesmo setor tendem e se comportar de modo parecido. Logo, escolha empresas de setores diferentes.

A dica final é não exagerar na diversificação. Como regra, recomendo você ter em carteira a quantidade de empresas que consiga acompanhar de perto. Nessa situação, qualidade é melhor do que quantidade.

Conclusão

conclusao

A verdade é que investir é uma tarefa simples, mas não é fácil, pois implica saber administrar questões técnicas, emocionais e comportamentais.

Agora que você já conhece os 10 erros mais comuns entre os investidores, tenho certeza de que você está mais perto de atingir melhores resultados na bolsa de valores.

Existem pessoas que entram no mercado de ações sem nenhum conhecimento do que estão fazendo. Infelizmente, o resultado disso é sempre o mesmo: perdas financeiras e traumas psicológicos permanentes.

Lembre-se de que errar de vez em quando é normal. A parte boa é que podemos aprender boas lições com nossos erros.

Apenas tome cuidado para não tornar esses erros um hábito, pois, se isso acontecer, você enfrentará sérios problemas e a sua vida como investidor será curta.

Aproveitando: você incluiria algum erro extra nessa lista? Estou curioso para saber.

Bons investimentos.

Crédito das imagens: www.shutterstock.com

Aprenda como ganhar de R$1mil a R$5mil por mês com dividendos, mesmo que tenha somente R$100 para começar.

André Fogaça

André Fogaça é empreendedor digital, investidor e co-fundador do GuiaInvest. É formado em Administração de Empresas pela UFRGS e pós-graduado em Economia e Finanças pela mesma instituição. Possui credencial de administrador de carteiras e consultor de valores mobiliários pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Ebook grátis:

O Plano Definitivo para Você Chegar à Liberdade Financeira

Descubra como planejar sua busca pela Liberdade Financeira começando do zero!

Baixar agora